04/10/2016 - Candidíase é uma das doenças ginecológicas mais comuns e merece atenção

A candidíase é uma doença causada nas mucosas pelo fungo cândida e estudos apontam que até 75% das mulheres já a desenvolveram em algum momento de suas vidas. Diferente do que muitas pessoas possam pensar, a candidíase não é considerada uma doença sexualmente transmissível, mas existe o risco de contaminação ao ter relações sexuais constantes com uma pessoa que tenha candidíase.

Essa é uma das causas mais comuns de infecção genital e os sintomas principais são coceira, ardor, corrimento branco e até mesmo desconforto no momento da relação sexual. Com a falta de tratamento, as lesões causadas pela doença podem atingir o períneo e também pode estar relacionada com a queda da imunidade. O tratamento da candidíase, essencialmente precisa ser realizado com medicamentos, como o comprimido 
Gino-Canesten, que deve ser aplicado diretamente na parte interna na vagina e, com apenas uma dose, é possível eliminar a candidíase. O acompanhamento médico é indispensável para garantir que o tratamento utilizado é o adequado, evitando a reincidência do quadro.

Mesmo sendo considerada rara em homens, a candidíase também pode se manifestar no pênis, e os sintomas principais são manchas em torno da glande, inchaço, vermelhidão na pele, irritação e até mesmo dor. O tratamento é realizado também com medicamentos que devem ser indicados por um médico.

Diversos fatores podem desencadear a candidíase, como a utilização de medicamentos, constantemente, que contribuam com a queda do sistema imunológico. Obesidade, falta de higiene e usa roupas muito apertadas na região genital também podem ser responsáveis pelo surgimento da doença.

A candidíase também pode ser oral e é transmitida pela saliva, através do beijo por exemplo. Os sintomas são o surgimento de placas removíveis na região bucal, como pequenas espinhas brancas. Para esses casos, normalmente, o médico especialista recomenta a utilização de antifúngicos durante uma ou duas semanas, combatendo o fungo cândida e evitando que ele atinja outras áreas de mucosas do corpo.

 

 

 

Tabata Mertz

Agua Boa News

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário