04/10/2016 - Kleber Lima afirma que Wilson passou de “cachorro sarnento” a “grande liderança” e afirma que comitê da maldade está com Emanuel

04/10/2016 - Kleber Lima afirma que Wilson passou de “cachorro sarnento” a “grande liderança” e afirma que comitê da maldade está com Emanuel

O marqueteiro Kleber Lima afirma que o candidato a prefeito de Cuiabá pelo PSDB, Wilson Santos, saltou da condição de um “cachorro sarnento” para a de uma “grande liderança” durante a campanha eleitoral do 1º turno. Responsável pela candidatura do tucano que é dona do maior índice de rejeição entre todos candidatos, Kleber afirma que precisou “reativar” a memória dos cuiabanos para os trabalhos prestados por Wilson e promete continuar a discutir os grupos políticos no 2º turno.

 

“O Wilson Santos entrou desacreditado. Ele só foi candidato porque ninguém mais quis. Entrou como um cachorro sarnento e termina esse 1º turno reposicionado como uma grande liderança que aceitou um desafio pelo grupo”, afirmou o jornalista Kleber Lima. Segundo ele, o maior motivo da rejeição do tucano é o fato dele ter deixado a prefeitura em 2010, mas os trabalhos prestados o credenciaram para próxima etapa da disputa.

Uma semana antes da votação, Wilson Santos ainda aparecia em terceiro colocado nas pesquisas, mas na reta final ele superou o Procurador Mauro (PSOL), que ficou de fora do 2º turno. “Reativamos a memória doo cuiabano. Agora vamos para um debate mais propositivo. Acabou a fase de identificar quem é quem. Agora o tom vai ser responder três perguntas: Vamos fazer o que por Cuiabá? Como vamos fazer? E com quem vamos fazer?”, explicou.

A terceira pergunta se remete às alianças dos candidatos e quem compõe cada grupo. No caso, Kleber voltará a por Wilson Santos como representante do grupo do governador Pedro Taques (PSDB), do prefeito Mauro Mendes (PSDB), além de outros líderes políticos que caminharam juntos durante o pleito eleitoral de 2014, como os deputados estaduais Eduardo Botelho (PSB) e Guilherme Maluf (PSDB), e o federal Fábio Garcia (PSB).

Diálogo Franco

Kleber Lima ainda rebate às acusações de que estaria comandando uma campanha baseada em ataques pessoais e baixarias. Segundo ele, quem é letrado em fazer esse tipo jogo é o comandante da comunicação política do candidato Emanuel Pinheiro, o marqueteiro e jornalista Antero Paes de Barros.

“O título de ‘comitê da maldade’ é do Antero e ninguém toma. Quem agrediu adversários duas vezes foi ele, em 2004 e 2008. Nós só falamos a verdade O Silval está preso ou não está? Nós não tiramos nenhum coelho da cartola, como ele tirou o seu Cândido em 20014”, argumentou Kleber.

Seu Cândido Ferreira foi um idoso que acusou Alexandre César de tentar tomar a casa em que morava, no segundo turno das eleições de 20014, quando Wilson Santos virou a disputa na reta final do 2º turno. Na ocasião, quem comandava a comunicação política de Wilson era Antero Paes de Barros.

Ainda segundo Kleber, são falsas as acusações de “baixaria” na campanha, visto que o candidato tucano e o candidato do PMDB perderam o mesmo espaço de tempo em propaganda na televisão – um minuto cada -, mostrando, assim, um nível igual nos programas eleitorais de ambos. “O que há é um diálogo franco”, concluiu.

 

 

 

Da Redação - Jardel P. Arruda

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário