04/11/2014 - Taques diz que vê com "preocupação" empréstimo para VLT

O governador eleito Pedro Taques (PDT) afirmou que recebeu com “preocupação” a decisão do governador Silval Barbosa (PMDB), de buscar um empréstimo, junto à Caixa Econômica Federal, no montante de de R$ 200 milhões, no final de sua gestão.

Segundo o pedetista, Silval não o informou sobre o pedido, que já foi encaminhado à Assembleia Legislativa e aguarda aprovação. O dinheiro, segundo o Palácio Paiaguás, é para as obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), em Cuiabá e Várzea Grande.

“Recebi a notícia, como todos os mato-grossenses que estão acompanhando o andamento dessas obras, com preocupação. Não fui comunicado desse fato. Mas, tenho certeza que o governador vai mandar os números para que possamos saber a natureza desse empréstimo”, afirmou Taques, nesta segunda-feira (3), durante visita ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

De acordo com a Mensagem 70/2014, o valor será destinado à implantação do VLT e será contraído pelo fato dr a desoneração tributária estar abaixo do valor inicialmente previsto, gerando a necessidade do aporte de novos recursos para complementação da contrapartida do Governo.

Segundo dados da Secopa, a contrapartida do Estado corresponde a R$ 325.997.277,15, sendo R$ 257.377.410,45 de desoneração tributária e R$ 68.619.866,70 de recursos direto do Tesouro Estadual.

“A nossa equipe de transição está fazendo o levantamento sobre esse assunto, porque precisamos saber da natureza desse empréstimo”, resumiu Taques.

Vistoria

Pedro Taques vistoriou, no último final de semana, diversas obras em andamento em Cuiabá e Várzea Grande. Ele foi acompanhado pelo prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (PSB).

O governador citou como exemplo o Viaduto da UFMT, observando que a situação do trânsito se agravou após o termino das obras.

“Todos nós sabemos que as obras estão atrasadas e, junto com o Mauro Mendes e técnicos, vistoriamos algumas obras. Precisamos saber qual o problema efetivo do viaduto da Sefaz ou o da UFMT, que foi edificado para resolver o problema de congestionamento, mas só piorou com o tempo”, disse.

Ele afirmou que a equipe de transição deve entregar, até o final de semana, o relatório sobre todas as pastas do atual Governo. Então, ele deve decidir, por exemplo, onde alocar as obras da Secopa.

“Existe na transição uma comissão que está analisando efetivamente a Secopa e as obras da Copa, mas nós ainda não definimos em qual pasta serão localizadas as obras, porque como sabemos, a Secopa se extingue no dia 31 de dezembro”, disse.

“Acredito que, até o final desta semana, já teremos o relatório final pronto para que em novembro possamos ouvir as categorias, como já fiz com o Fórum Sindical e possamos decidir a partir do final de novembro quais mudanças serão realizadas”, completou.

 

 

Douglas Trielli 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário