04/11/2015 - Taques admite erros em 10 meses de mandato, mas destaca propósito de acertar e economia de R$ 250 milhões

O governador Pedro Taques (PSDB) admite que houve erros em seu governo durante os dez primeiros meses de mandato. Por outro lado, ele destaca o propósito de acertar e os esforços feitos para economizar recursos nesse período. Foram R$ 250 milhões economizados nos dez primeiros meses, principalmente com revisão de contratos e detecção de fraudes, como os alunos fantasmas da rede estadual de ensino.

Taques destacou que essas mudanças mostram que ele está fazendo um governo de transformação – mote de campanha que se tornou o slogan de seu governo.

“Transformação não é só construção de pontes e escolas. É fazer algo diferente do que se fazia no passado. E nós estamos fazemos. Erramos? Sim. Nesses 10 meses já erramos. Todos erram. Mas estamos firmes no propósito de acertarmos. Em 10 meses, nós economizamos R$ 250 milhões”, afirmou.

O governador observou que, com a quantia economizada, é possível fazer grandes investimentos em saúde. “Dá pra fazer o que com R$ 250 milhões? Estamos fazendo um Pronto Socorro e hospital público em Cuiabá, que custa R$ 76 milhões. Daria para construir três hospitais iguais a esse com 300 leitos em Mato Grosso. Poderíamos construir o hospital de Porto Alegre do Norte, porque é preciso um hospital no Vale do Araguaia. Poderíamos construir um hospital regional em Tangará da Serra, em Pontes e Lacerda”, enumerou.

Pedro Taques mencionou alguns contratos firmados no governo passado nos quais foi possível economizar, principalmente na Secretaria de Infraestrutura e Logística (Sinfra). É o caso dos contratos para gerenciar e supervisionar as obras do programa de pavimentação MT Integrado, que de R$ 193 milhões caíram para R$ 13 milhões.

No programa Pró Concreto, a supressão de 27 pontes, substituídas por bueiros celulares, levou a uma economia de R$ 41 milhões. “O que daria para fazer com R$ 41 milhões? Cada escola modelo que nós construiremos no estado custará R$ 5 milhões. Daria para construir quase 10 escolas nesse padrão que nós construiremos. É muita diferença”, observou.

 

 

Da Redação - Laíse Lucatelli

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário