04/12/2012 - Polícia Civil prende onze por chacina ocorrida em fazenda em Mato Grosso

Onze pessoas foram presas pelo assassinato de quatro homens, em uma fazenda, no Distrito de Vila Cardoso, no município de Porto Esperidião (326 km a Oeste), durante a operação “Cata Grilo”, realizada durante o final de semana pela Polícia Civil, em uma região localizada a 120 quilômetros da fronteira com a Bolívia. 

Ocorrido em setembro deste ano, o crime foi motivado pela prática de grilagem de terras e conflitos com posseiros na região. Durante os dois dias de operação, 60 policiais civis e três militares cumpriram 18 mandados de buscas e apreensão domiciliar, 6 mandados de prisões temporárias e 5 prisões em flagrante. 

Também foram apreendidas 11 armas de fogo (revólveres, pistolas, espingardas e munições de uso permitido e restrito), além de diversos documentos relacionados a áreas de terra em situação de conflito, dentre outros.

No dia 14 de setembro deste ano, cinco funcionários contratados para obras na fazenda “Nova Bom Jesus”, de propriedade do pecuarista Geraldo Pilate Alba, 50 anos, foram surpreendidos a tiros quando trabalhavam no imóvel rural. Dois deles conseguiram escapar dos tiros e sobreviveram a chacina. Nada foi furtado do local. 

Dois dias depois, 16 de setembro, um dos integrantes do bando, que teria invadido a área e entrado em confronto com os funcionários da fazenda, foi encontrado morto dentro da mesma área de conflito, também vítima de disparo de arma de fogo no dia 14 de setembro. 

Após dois meses, as investigações iniciadas pelos delegados Walfrido Flankilin do Nascimento e Mário Aravechia Resende, culminaram na prisão dos envolvidos diretamente na chacina e de outros suspeitos relacionadas com a grilagem de terras na região.

Conforme o delegado Mário Resende, os suspeitos são residentes nos municípios de Pontes e Lacerta, Nova Lacerda e Porto Esperidião. As investigações ainda continuam até a conclusão do inquérito policial em 30 dias. 

“Em virtude de se tratar de cumprimento de prisão temporária não vamos divulgar os nomes dos presos temporariamente, por ainda estarem sob investigação”, explicou o delegado. 

O delegado confirmou que entre os envolvidos nos homicídios estão ex-policiais militares, pequenos produtores rurais e funcionários de fazendas. 

A operação mobilizou 60 policiais civis, dentre eles 5 delegados, 50 investigadores e 5 escrivães. Também contou com a cooperação de 3 policiais militares. 

Flagrante 

Em poder de armas de fogo de uso permitido e restrito foram presos: Anacífio José Maria, João da Silva, Alfredo Dias Ferreira, José Gomes de Araújo, e Manuel Gonçalves Loredo, todos autuados por porte 

Os fatos 

Os assassinatos na localidade assustaram os moradores da região e intensificou a tensão no local. A fazenda Nova Bom Jesus já teria, anteriormente, à chacina do dia 14 de setembro, sido alvo de outros ataques, como um incêndio criminoso em 2011. A residência, o alojamento dos funcionários, dois barracões, um galpão e todo o maquinário foram na ocasião, destruídos pelo fogo.

O prejuízo total estimado é de pelo menos R$ 400 mil. Após o recebimento de outras ameaças, a morte dos funcionários da Fazenda Nova Bom Jesus, teria sido o último ato atentatório contra o proprietário da área.

 

Da Redação - Laura Petraglia