05/01/2012 - Cristina Kirchner é operada com sucesso do câncer na tireóide

 

A presidente argentina, Cristina Kirchner, foi operada com sucesso nesta quarta-feira de um câncer na tireóide em um hospital particular da cidade de Pilar (50 km ao norte), menos de um mês depois de ter assumido seu segundo mandato até 2015.
 
Scoccimarro leu um comunicado oficial na porta do hospital Austral, onde estavam reunidos centenas de seguidores de Kirchner.
 
A operação para a retirada total da tireoide durou "três horas e meia", informou o porta-voz.
Kirchner, de 58 anos, permanecerá internada durante 72 horas e sua recuperação vai se estender por 20 dias, até 24 de janeiro. Durante este período, o vice-presidente Amado Boudou assumirá o cargo no Poder Executivo.
 
"As perspectivas são excelentes e não é esperado nenhum tipo de tumor depois da operação", disse o oncologista Mario Bruno, acrescentando que Kirchner poderá ter uma vida normal após a cirurgia.
 
Segundo o especialista, o membro da Associação Argentina de Cancerologia, a "cirurgia permitiria a solução definitiva do problema".
 
Centenas de jovens amanheceram nesta quarta-feira em frente ao moderno Hospital Austral para apoiar Kirchner em uma vigília que em muitos casos se estende há dias.
 
"Força Cristina", diziam alguns cartazes colocados nas grades que rodeiam o prédio do hospital, junto a bandeiras argentinas e outras com os rostos da chefe de Estado e de seu antecessor, Néstor Kirchner.
 
Em uma ampla zona ao redor do hospital foi destacado um forte esquema de segurança com as forças da Gendarmaria Nacional Argentina (polícia militar), Polícia Federal e Bonaerense e membros da Custódia Presidencial.
 
Na terça-feira, Kirchner descansou na residência oficial de Olivos (periferia norte) para onde voltou, depois de ter passado o ano novo junto aos filhos, Máximo de 32 anos e Florencia de 24, na casa de El Calafate.
 
Assim que sua enfermidade foi anunciada, presidentes e ex-presidentes da América Latina manifestaram seus desejos por sua recuperação. Entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que tem um tumor na laringe e a atual presidente, Dilma Rousseff, que está curada de um câncer no sistema linfático.
 
Os presidentes Fernando Lugo, do Paraguai e Hugo Chávez, da Venezuela, também tiveram câncer, levando este último a especular sobre uma "tecnologia para induzir ao câncer", supostamente desenvolvida pelos Estados Unidos.
 
 
AFP

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário