05/02/2011 18h:17 Ex-morador de Nova Xavantina é preso em Barra por aplicar golpe do 'envelope vazio'

Escrito por Clênia Lima

Investigadores da Delegacia de Roubos e Furtos de Barra do Garças prenderam na tarde de terça feira(01) Weno Gonçalves lima (40), acusado de aplicar contra Aldecir Alves da Silva (38) o golpe do "envelope vazio".

Os dois cidadãos se conheceram quando trabalharam juntos em uma fazenda na região de Pontal do Araguaia(MT), período em que Aldecir vendeu à Weno um veículo Paratí ano 93. Segundo o dono do veículo, o valor cobrado pelo carro foi R$ 5.000,00 que seriam pagos em duas parcelas.

A venda desse veículo virou caso de polícia porque segundo o proprietário do automóvel, o comprador Weno Gonçalves Lima foi ao banco realizar o depósito da primeira parcela, porém, não depositou nenhuma importância em dinheiro, depositou apenas o envelope vazio.

Passado o período de compensação, o banco informou à Aldecir que não havia dinheiro nenhum depositado em sua conta. Sem o carro e sem o dinheiro, a vítima procurou a delegacia e comunicou o fato. Localizado pela polícia, Weno negou ter aplicado o golpe e se defendeu dizendo que tudo não passou de um mal entendido.

O delegado João pessoa titular da DERF, disse que esse é o 6º caso semelhante de estelionato investigado pela delegacia. Segundo o delegado os golpistas escolhem como vítimas pessoas humildes e sem muita instrução."As pessoas devem tomar muito cuidado ao negociar com desconhecidos, principalmente quando a proposta parecer muito vantajosa", orientou o delegado João Pessoa.


Weno Gonçalves Lima já é conhecido da polícia barragarcense porque em julho de 2010 foi vítima de uma tentativa de homicídio no bairro São José. Weno estava no restaurante de sua mãe quando foi surpreendido por um homem, vizinho de sua genitora, que chegou ao local atirando.

Weno, a mãe Divina Gonçalves Lima e um cliente do restaurante foram atingidos pelos disparos, sendo que Divina morreu 3 dias após ter sido alvejada, e até então, 8 meses depois o autor do homicídio e da dupla tentativa ainda não foi localizado, e os reais motivos da extrema atitude ainda não são totalmente conhecidos.