05/02/2015 - Sinfra anuncia caos da malha viária de MT e aplica R$ 30 mi emergencial

05/02/2015 - Sinfra anuncia caos da malha viária de MT e aplica R$ 30 mi emergencial

O secretário de Infraestrutura, Marcelo Duarte, ao lançar o Plano Emergencial de Recuperação de Estradas, o Pró-Estradas, divulgou um diagnóstico nada animador em relação à situação das estradas pavimentadas e não pavimentadas de Mato Grosso.  Segundo ele, o Estado é o pior em logística no Brasil e não há sequer uma rodovia em ótima e/ou boa condição. Ao total, são 5 mil km de estradas pavimentadas. Desde ontem, 71 prefeitos já assinaram convênio com a pasta.

 

Assim, o Estado campeão na produção de grãos empata no ranking negativo com os Estados do Amazonas, Piauí, Amapá, Rorâmia, Acre e Rio Grande do Norte. Na outra ponta do levantamento, feito pela Confederação Nacional dos Transportes, estão São Paulo e Mato Grosso do Sul com as melhores malhas viárias do país.

 

Entre as mais problemáticas estão a MT-140 (Sinop - Santa Cármem); MT-220-BR-163 (Tabaporã); MT-170 (Branorte - Mundo Novo); MT-249 (Nova Mutum - MT-235); MT-235 (Campo Novo-MT-249); MT-240 (Diamantino - Nortelândia); MT-130 (Paranatinga-Primavera); MT-040 (Cuiabá-Santo Antônio); e MT-060 (Cuiabá-Poconé).

 

Para amenizar o problema, o Estado reativou a miniusina de asfalto de Cuiabá, assim como as patrulhas mecanizadas. Está promovendo também operação tapa buracos. As ações fazem parte do Pró-Estradas que vai investir R$ 30 milhões na recuperação das estradas, R$ 20 milhões a mais que os R$ 10 milhões aplicados no ano passado, conforme revelou o secretário.

 

A distribuição desses valores vai ocorrer mediante assinatura individual do termo na Sinfra. Os prefeitos então terão um cartão para receber o diesel. A divisão de massa asfáltica por município utilizará os seguintes critérios: quilômetros de malha rodoviária estadual que será incluída na parceria e o atual Estado de conservação da malha. Já para a divisão de óleo diesel por município serão utilizados como critérios o total de quilômetros de malha rodoviária estadual e municipal não pavimentada.

 

O trabalho teve início nas estradas da Baixada Cuiabana, em especial nas que dão acesso aos municípios que tradicionalmente recebem foliões durante o Carnaval.

 

Não pavimentadas

A situação dos cerca de 100 mil km de estradas não pavimentadas também não é nada animadora. Conforme levantamento do Dnit, o Estado é o campeão em estradas sem asfalto, com 18,46, seguido da Bahia, com 12,90.

 

Neste caso, o Estado utilizará as patrulhas para melhorar a trafegabilidade nessas estradas de terra. Caberá ainda a elas resgatar os caminhões que eventualmente estiveram atolados. As equipes mecanizadas são compostas por caminhões basculantes, motoniveladoras, escavadeira e caminhões. Outra preocupação são as 4 mil pontes de madeira. Em relação a elas, segundo o levantamento ,1,5 mil precisam ser substituídas. O secretário pediu que os prefeitos de cada cidade apontem até 3 prioridades.

 

 

Patrícia Sanches

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário