05/02/2016 - Forças Armadas vão orientar moradores de São Félix do Araguaia sobre mosquito

05/02/2016 - Forças Armadas vão orientar moradores de São Félix do Araguaia sobre mosquito

Dois mil e quinhentos militares das Forças Armadas devem atuar em uma campanha contra o Aedes aegypti, no próximo dia 13 de fevereiro em 10 cidades de Mato Grosso. Segundo o Ministério da Defesa, os militares devem atuar nas seguintes cidades: Barra do Garças, Cáceres, Chapada dos Guimarães,Cuiabá, Lucas do Rio Verde, Primavera do Leste, Rondonópolis, São Félix do Araguaia,Sinop e Sorriso.

Os 2,5 mil militares vão às ruas dos municípios para distribuir material impresso com orientações para a população sobre como manter as casas livres dos criadouros do mosquito transmissor da dengue, chikungunya e do Zika vírus.

A ação vai ocorrer simultaneamente em todo o país, com mobilização total de 220 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica. A meta é visitar três milhões de residências em 356 municípios, incluindo todas as cidades consideradas endêmicas, de acordo com indicação do Ministério da Saúde, e as capitais do país.

Para a distribuição do efetivo das Forças Armadas nessa fase de mobilização, foram consideradas as cidades com maior incidência das doenças transmitidas pelo mosquito e os municípios que contam com organizações militares instaladas.

Próximas etapas

Ainda estão previstas duas etapas da campanha de combate ao Aedes. Entre os dias 15 e 18 de fevereiro, 50 mil militares, sob a coordenação do Ministério da Saúde, vão visitar residências acompanhados por agentes de saúde para inspecionar possíveis focos de proliferação, orientando os moradores e, se for o caso, fazendo aplicação de larvicida em criadouros.

A última etapa, ainda em fase de elaboração com o Ministério da Educação (MEC), prevê a participação de visitas a escolas. A meta é reforçar o trabalho de conscientização das crianças e adolescentes sobre como evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti. No entanto, conforme o Ministério da Defesa, ainda não há definição se essas duas etapas também serão feitas em Mato Grosso.

 

 

G1
Mato Grosso

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário