05/03/2014 - Neymar brilhou. E Brasil ganhou novo candidato forte a vaga na Copa

O último amistoso do Brasil antes da convocação para a Copa do Mundo era a chance do técnico Luiz Felipe Scolari testar dois nomes que não faziam parte do grupo até então, o volante Fernandinho e o lateral Rafinha. Mas quem mostrou serviço e roubou a cena foi o titular mais absoluto do treinador: Neymar, que marcou três vezes e comandou a goleada sobre a África do Sul por 5 a 0, nesta quarta-feira, em Johannesburgo.

O jogo valia mesmo para Fernandinho e Rafinha, que jogaram 90 minutos na primeira e única chance com Felipão antes da convocação para a Copa do Mundo. O jogador do Manchester City fez até gol e mostrou que pode ser uma boa opção para o técnico tanto como primeiro quanto segundo volante. Nos 45 minutos iniciais jogou mais recuado, tendo Paulinho mais à frente. Depois do intervalo, foi para a função de segundo volante e jogou melhor.

"Fiquei muito feliz com a atuação de hoje. Procurei fazer tudo aquilo que o Felipão me pediu. A felicidade se completou com o gol que fiz pro meu filho, como presente de aniversário pra ele. Foi uma noite maravilhosa. Agora é voltar pra Inglaterra e continuar jogando no mesmo nível para que no dia 7 de maio meu nome possa estar na lista final", afirmou Fernandinho após a partida, por meio de sua assessoria de imprensa.

Já Rafinha, que tem uma concorrência mais difícil, com Daniel Alves e Maicon, teve uma atuação regular. Não conseguiu mostrar a mesma velocidade e qualidade técnica nos avanços pela lateral e até falhou em alguns lances defensivos.

Felipão celebrou o amistoso contra os sul-africanos pela oportunidade de enfrentar uma seleção do mesmo continente de Camarões, adversário do Brasil na primeira fase da Copa do Mundo. Na prática, porém, o que se viu foi um rival limitado tecnicamente, que cedeu muitos espaços e ofereceu pouca resistência.

O Brasil precisou de apenas 10 minutos de jogo para abrir o placar, em sua primeira chance clara de gol. Hulk fez belo lançamento para Oscar, que recebeu dentro da área e tocou para as redes na saída do goleiro.

Com o gol, a África do Sul adiantou a marcação e tentou sufocar a saída de bola brasileira. O Brasil recuou e passou a explorar os erros e os espaços dados pelo adversário. Aos 28 minutos, Neymar interceptou passe no meio-campo e arrancou até a área sul-africana, mas finalizou em cima do goleiro Williams.

O segundo gol nasceu de maneira parecida. Paulinho recebeu a bola no meio-campo e achou Neymar no campo de ataque. O atacante invadiu a área sul-africana e chutou rasteiro, por baixo do goleiro, para ampliar.

No intervalo da partida, a pedido de seu patrocinador, o Brasil trocou de roupa para celebrar a estreia dos uniformes que utilizará na Copa do Mundo. A 'amarelinha' ficou no vestiário e os jogadores voltaram a campo vestindo camisa azul que também será usada pelo país no Mundial.

Felipão aproveitou o intervalo para promover alterações no Brasil. Saíram Paulinho, Oscar e Hulk para as entradas de Luiz Gustavo, Ramires e Willian. As mudanças, porém, não mudaram o domínio dos brasileiros, que ampliaram logo no 1º minuto da etapa final. Fred deixou Neymar na cara do gol e o atacante marcou por cobertura

Mero expectador na maior parte da partida, Júlio César apareceu bem aos 17 minutos quando Patosi recebeu dentro da pequena área e chutou para boa defesa do goleiro, que vem tendo sua convocação contestada por atuar pelo fraco Toronto na liga dos Estados Unidos.

Scolari ainda colocou em campo Jô, Daniel Alves e Dante, respectivamente nos lugares de Fred, Marcelo e David Luiz. O lateral do Barcelona teve a chance de ampliar aos 29 minutos, mas perdeu o lance cara a cara com o goleiro Williams. Aos 33, Fernandinho acertou belo chute de fora da área e ampliou. Neymar, no minuto final, recebeu na pequena área e completou para as redes, fechando o placar.

Encerrado o período de testes, fica a expectativa para a lista final da seleção brasileira para a Copa do Mundo. A convocação será divulgada por Felipão no dia 7 de maio.

O trânsito de Johannesburgo fez o jogo começar com o estádio praticamente vazio. As avenidas ao redor do Soccer City, construído para a Copa do Mundo de 2010, estavam completamente engarrafadas já três horas antes da partida iniciar.

A reportagem do UOL Esporte levou mais de duas horas para percorrer um caminho de 18 quilômetros de carro, que levava do bairro de Rosebank, na região noroeste de Johanesburgo, ao Soweto, onde fica o Soccer City.

Dentro do estádio, mesmo com as arquibancadas ainda vazias, o ruído das vuvuzelas já se fazia presente. Banida em jogos de rúgbi no país, elas seguem como aparato preferido dos torcedores nos jogos de futebol do país.

Até os 40 minutos do segundo tempo, pelo menos, ainda havia torcedores chegando no Soccer City. O público final não foi de envergonhar os africanos, com 51.083 pessoas. Num gigante como o Soccer City, que tem 94 mil assentos, as cadeiras laranjas e vazias chamaram atenção e deram a impressão de que não havia tanta gente assim vendo a partida.

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário