05/03/2016 - Audiência discute álcool e drogas na etnia xavante em Campinápolis

Para discutir a problemática envolvendo o alcoolismo, drogas e suas consequências à etnia Xavante, autoridades participaram, na manhã desta quarta-feira (2 de março), da 1ª Audiência Pública no município de Campinápolis. O evento foi proposto pelo coordenador local da Fundação Nacional do Índio (Funai), José Orlando Ferreira, e realizado na Câmara Municipal.

Atualmente a população da cidade enfrenta um cenário preocupante relativo ao aumento do consumo de álcool e drogas pelos índios xavantes. O principal objetivo da iniciativa é a articulação do Poder Judiciário, Ministério Público, Funai e Prefeitura Municipal para o desenvolvimento de ações de prevenção e recuperação do uso desenfreado de álcool e drogas.

De acordo com a juíza substituta da Comarca de Campinápolis, Ângela Maria Janczeski Góes, a presença de bebidas alcoólicas e drogas tem deixado espaço aberto para a ocorrência de crimes como violência doméstica, homicídio, envolvimento com narcotráfico, furto, etc.. “O ingresso de álcool e drogas é facilitado principalmente nas aldeias mais próximas da cidade, onde há fragilidade na fiscalização. É preciso um trabalho de prevenção e recuperação”.

Ainda segundo a magistrada, é notório que a população indígena em contato com a cultura não-indígena está adquirindo hábitos e tendo acesso a elementos estranhos a sua realidade. “Estes têm pouco conhecimento dos efeitos nefastos da bebida alcoólica e das drogas em geral sobre o indivíduo e sua comunidade”, complementou.

Durante as discussões concluiu-se que o alcoolismo e o consumo de drogas é um problema grave que há muito atinge a população não indígena e hoje, com o intercâmbio de culturas, está atingindo a população indígena.

Ante a este problema o consenso foi no sentido de que é preciso que as instituições governamentais e não governamentais unam esforços para evitar, o máximo possível, a incidência desses efeitos negativos no meio indígena, principalmente pela falta de aparelhamento de tratamento de saúde específico para tratar de cada etnia de modo individualizado, respeitando seus fatores culturais.

Participaram da audiência pública o promotor de justiça da comarca, Marcelo Linhares, o representante do Conselho Municipal de Segurança (Conseg), Rafael Pereira Lopes, o secretário municipal de Saúde, Charlley Anderson, o secretário municipal de Educação, Emival Pereira, entre outros representantes da sociedade civil e etnia Xavante.

 

Assessoria TJ/MT

Comentários

Data: 03/04/2016

De: Negociando Empresas

Assunto: Negociando Empresas

Quer Comprar, Vender ou Avaliar uma Empresa?
www.negociandoempresas.com.br
Portal de Vendas e Avaliações de Empresas

Data: 06/03/2016

De: jc akwe xerente

Assunto: preocupaçao

Nao esta facio varias etinias indigenas ta deichando preocupaçao nossos patentes karajas tabem precisa de um cuidado

Novo comentário