05/04/2016 - Manifestantes pró-impeachment fazem novo adesivaço e prometem paralisação geral em MT

05/04/2016 - Manifestantes pró-impeachment fazem novo adesivaço e prometem paralisação geral em MT

Paralisar Mato Grosso por um dia. Esse é objetivo de quatro diferentes grupos de manifestantes pró-impeachment de Dilma Rousseff (PT) que pretendem pressionar os parlamentares do Estado a se posicionar em relação a destituição da presidente, incentivar a população a cobrar o políticos e a mostrar apoio ao juiz Sérgio Moro e as investigações da Operação Lava Jato.

O “anúncio prévio” do plano de paralisação, arquitetado pelos movimentos Muda Brasil, Avança Brasil, Vem Pra Rua e Pela Ordem, foi feito um adesivaço na noite desta segunda-feira (04), no entorno da Praça 8 de Abril, em Cuiabá, no qual cerca de 40 pessoas incentivavam a população a se manifestar em prol do impeachment.

De acordo com a administradora Lorena Lacerda, uma das coordenadoras do ato, a ideia é todo comércio parar por um dia. “Estamos organizando uma grande paralização. Uma paralização geral em Mato Grosso do comércio, das lojas, das empresas, e vamos anunciar em breve a data da paralização que será na semana que vem”, explicou Lorena. Além disso, novos adesivaços serão feitos enquanto correr o processe de impedimento da presidente Dilma.

Duas frentes

As ações dos quatro grupos focam em duas frentes, segundo explicou Lorena. Um é pressionar os parlamentares a se posicionar em relação ao impeachment. A preferência do grupo é conseguir votos a favor da destituição da presidência, mas eles consideram importante todos os membros da bancada federal anunciar sua posição, mesmo se contra o impedimento.

O outro aspecto é pela continuidade das investigações da Operação Lava jato. Os membros dos quatro grupos interpretam como uma clara tentativa de obstrução da justiça a nomeação do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva como ministro-chefe da Casa Civil. Com o cargo, Lula ganha foro privilegiado e a investigação contra ele sai da primeira instância e sobre para o Supremo Tribunal Federal (STF).

Para defender as duas posturas, estão sendo feito ações em Cuiabá e no interior. Também foram colocados outdoors do movimentos tanto na Capital de Mato Grosso quanto em Tangará da Serra, Rodonópolis e Sorriso.

Da Redação - Jardel P. Arruda

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário