05/04/2016 - Silval Barbosa será escoltado para depor em júri sobre chacina de Matupá

05/04/2016 - Silval Barbosa será escoltado para depor em júri sobre chacina de Matupá

O ex-governador de Mato Grosso Silval da Cunha Barbosa será escoltado para prestar depoimento, como testemunha de defesa, de um dos réus do crime conhecido como “chacina de Matupá”. O júri popular está marcado para o dia 18 de abril e ocorrerá na comarca do município.

Conforme os autos, Silval foi arrolado pela defesa de Mario Nicolau Schorr. O ex-governador, porém, está preso preventivamente, em conseqüência de investigações por corrupção, desde o dia 17 de setembro de 2015. 

Assim, foi determinado que, caso ainda esteja privado de sua liberdade na data do julgamento, uma escolta realize o translado da testemunha.

Pela chacina, conforme os autos, 18 homens, civis e policiais militares, foram acusados de participação nas mortes de Ivacir Garcia dos Santos, 31, Arci Garcia dos Santos, 28, e Osvaldo José Bachinan, 32, em novembro de 1990. 

Os três foram espancados e queimados vivos em praça pública, após uma tentativa de assalto, em que invadiram uma residência e mantiveram mulheres e crianças reféns por mais de 15 horas.

Na ocasião, a Polícia Militar foi acionada e os assaltantes se renderam. No entanto, eles foram capturados pelos populares e mortos. 

A ação foi registrada por um cinegrafista e as imagens repercutiram em todo o mundo. Em outubro de 2011, em razão do grande número de réus, o juiz titular da comarca determinou o desmembramento do processo e marcou quatro sessões para a realização do júri popular. 

No memento do júri, Mario Nicolau Schorr foi condenado a quatro anos e oito meses de reclusão, em regime semi-aberto. Porém, após recurso no Tribunal de Justiça, o julgamento foi anulado. Assim, um novo exame sobre o caso ocorrerá no próximo dia 18.

Silval vivia em Matupá quando a chacina ocorreu.

 

 

 

 

Da Redação - Arthur Santos da Silva

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário