05/05/2012 - Três são presos pela polícia em flagrante acusados de explodir caixas eletrônicos em Mato Grosso

Uma quadrilha foi desarticulada e três pessoas foram presas acusadas de explodir caixas eletrônicos em Mato Grosso e em Roraima (RR). Eles também são suspeitos de praticarem o novo cangaço – assaltos rápidos e violentos a agências bancárias de cidades do interior, devido ao armamento pesado encontrado com o grupo -, de acordo com o comandante do Comando Regional I de Cuiabá, Jadir Metello da Costa

Com os três homens foram apreendidas armas de uso exclusivos das Forças Armadas, pistolas, fuzis, escopeta e uma .40. Além do armamento, a polícia apreendeu 150 munições de fuzil. 50 de pistola e 22 de arma calibre 12, duas poções de maconha.

A prisão, que contou com cerca de 25 policiais militares, ocorreu no bairro Pedra 90, em Cuiabá. A polícia chegou até o local, casa de Wellington Carlos Barbosa Maciel, 25 anos, após denúncia anônima e lá foram encontrados roupas camufladas, binóculo, GPS, celulares e máscaras. 

Os homens teriam agido nos municípios de Mato Grosso, como por exemplo, Nortelândia, Lucas do Rio Verde, Poconé, Denise e Barra do Garças. Os suspeitos também podem ter realizado o crime na cidade de Cacoal, interior do estado de Rondônia (RO).

Segundo o comandante Costa, todos os suspeitos têm passagem pela polícia. Jeferson Morais, 31 anos, é acusado por roubo, Wellington Maciel por homicídio e Weslei Galvani, 27, de roubo e tráfico. 

Wellington (na foto aparece sem camisa) disse ao Olhar Direto que só estaria guardando o armamento para os integrandes da quadrilha que, segundo ele, estão presos. O suspeito de participar do bando que explode caixa eletrônico e praticarem o novo cangaço disse que receberia R$ 10 mil pelo serviço, mas nega ter participado das ações criminosas.

Costa disse que os três homens presos são conhecidos dos policiais da região. "São conhecidos dos policiais por terem sido presos por outros crimes. Eles são apenas uma parte da quadrilha", comentou o comandante do Comando Regional I. 

Os três suspeitos foram ecaminhados para a Polícia Civil, que dará continuidade nas investigações. 

 

Da Redação - Victor Cabral

FOTOS

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário