05/05/2014 - Governador do Tocantins toma posse para mandato até 31 de dezembro

O governador em exercício Sandoval Cardoso (SD), de 37 anos, foi eleito governador do Tocantins sob protesto dos outros candidatos na manhã deste domingo (4), na Assembleia Legislativa, em Palmas. Ele e o vice, Tom Lyra (PR), venceram com a maioria absoluta dos votos, recebendo um total de 15 entre 21 possíveis. O novo gestor segue no comando do governo até o fim de dezembro deste ano. Sandoval Cardoso é o mais jovem governante do Tocantins e o primeiro do Solidariedade no país, já que o partido foi registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

As outras chapas protestaram contra a eleição do parlamentar, por ser considerado um candidato do governo. Sandoval Cardoso, já ocupava o cargo de governador interino do estado, após a renúncia de José Wilson Siqueira Campos (PSDB) e do vice João Oliveira (DEM), nos dias 3 e 4 de abril deste ano.

Durante os discursos das chapas, os candidatos fizeram duras críticas à gestão anterior, principalmente quanto a renúncia do ex-governador. Apenas a fala de Sandoval Cardoso pontuou os pontos positivos do governo, como o crescimento do agronegócio e do setor industrial, segundo ele.

Os outros candidatos criticaram a forma como o governo foi deixado, sem uma solução para os problemas da gestão, como o rombo de mais de R$ 500 milhões do Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Tocantins (Igeprev), citado pelo deputado José Augusto Pugliese (PMDB) e os R$ 462 mil gastos com a construção de uma tenda improvisada para atender aos pacientes do Hospital Geral de Palmas, lembrado por Nuir Júnior (PMN).

O professor Adail Pereira (PSDC), alegou que a renúncia de Siqueira Campos foi uma manobra para a manutenção de um determinado grupo no poder do Estado. Já Eli Borges (PROS), ironizou ao dizer que caso eleito, não renunciaria ao mandato. O candidato do PSOL, Fábio Ribeiro, disse que os deputados não estão cuidando do povo e ameaçou: "o resultado vem nas eleições do dia 5 de outubro".

"Sou contra eleição indireta porque ela é antidemocrática. Minha candidatura e meu voto são de protesto", argumentou Marcelo Lelis (PV). Paulo Mourão (PT) acusou o governo de tentar privatizar a Companhia de Mineração do Tocantins (Mineratins) ao colocar o filho do ex-governador, Eduardo Siqueira Campos, como presidente do órgão.

A posse 
Eleito governador, Sandoval Cardoso assinou o termo de posse e discursou na tribuna durante a sessão extraordinária, que aconteceu logo após a eleição indireta. "Não desapontarei a confiança e nem frustrarei os anseios do povo", estas foram uma das primeiras palavras dele. O discurso foi seguido de agradecimentos e de promessas. "Iremos dar prosseguimento ao projeto de fazer do Tocantins o melhor estado para se viver", disse ele.

Sandoval Cardoso falou do tempo que passou na Assembleia Legislativa e agradeceu a Deus, que segundo o governador "conhece e abençoa a cada um com missões". Ele ainda argumentou que nenhuma ação iniciada no governo de Siqueira Campos será interrompida, mas que vai dar prosseguimento aos projetos e obras à maneira dele. Sandoval ainda falou em avanços na saúde e que a prioridade dele será a educação e o fortalecimento da economia.

Após o discurso, Sandoval recebeu a faixa de governador, que foi entregue pelo presidente da Assembleia Legislativa, Osires Damaso (DEM). "Eu não tenho um caminho novo. O que eu tenho de novo é o meu jeito de caminhar", finalizou.

Sandoval Cardoso foi eleito governador do Tocantins (Foto: Marcio Vieira/ATN)
Sandoval Cardoso e Tom Lyra comemoram eleição (Foto: Marcio Vieira/ATN)
 
 
 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário