05/06/2013 - Arcanjo é condenado a mais 9 anos de prisão por formação de quadrilha

O mais famoso contraventor do jogo do bicho em Mato Grosso, João Arcanjo Ribeiro, recebeu nova condenação da Justiça de Mato Grosso. Ele que já cumpre pena em penitenciária de segurança máxima por vários outros crimes pegou mais 9 anos e 7 meses de reclusão em regime fechado. A sentença é da juíza Selma Rosane Santos Arruda da Vara Especializada Contra o Crime Organizado da Comarca de Cuiabá e refere-se a crimes de formação de quadrilha e corrupção ativa cometidos por sua organização criminosa em Cuiabá, Cláudia e Sinop.

 

Os crimes de corrupção ativa foram concretizados ao oferecer vantagens ilícitas a membros da Polícia Civil para liberação de comparsa preso, motocicleta apreendida e ainda para a realização de ação policial em pontos de atuação de bicheiro concorrente.

 

Além de Arcanjo, outros sete também foram condenados. Um deles é a delegada Helena Yloise de Miranda Lourenço da Polícia Judiciária Civil. Ela foi condenada à perda do cargo por corrupção passiva. Ela foi enquadrada neste crime ao aceitar propina para realizar a já citada ação policial que favorecia Arcanjo. Além da perda da função pública a ela foi imposta reprimendas restritivas de direito, limitação de fim de semana e ainda a prestação de serviços à comunidade.

 

O genro de Arcanjo, Geovane Zem Rodrigues, também está no rol dos sentenciados. Ele pegou 7 anos, 3 meses e 10 dias de reclusão em regime semi-aberto pelos mesmos crimes que Arcanjo. Conforme consta no processo, Geovane é o herdeiro das ações do grande chefe e mentor. Após a prisão de João Arcanjo, Geovane encarregou-se de continuar chefiando e controlando as atividades ilícitas do grupo.

 

Em sua decisão a magistrada destaca que “a corrupção é um mal que está ligado umbilicalmente ao subdesenvolvimento das nações. Esse crime pode impedir o crescimento de países como o Brasil, a Rússia, a Índia e a China, já que inibe a vinda de investidores externos, graças à falta de credibilidade. O combate à corrupção é crucial para que o Brasil tenha perspectiva de futuro digno”.

 

Os outros condenados foram Awanio Moreira da Silva, Silvio Alexandre de Menezes, Agnaldo Gomes de Azevedo, Rene Robert Lima. Todos são comandados de Arcanjo e Geovane. A decisão é do dia 31 de maio. 

 

As informações são da Coordenadoria de Imprensa do TJ.

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário