05/07/2013 - Advogado entra com pedido de liberdade provisória para mãe velar corpo de filho morto em incêndio

O advogado Hélio Bruno Caldeira, que faz a defesa da diarista Quintina Rosa, acusada de abandono de incapaz de maneira qualificada que resultou na morte de seu filho João Paulo, 5, e lesão grave em outra filha, deve entrar ainda nesta manhã com um pedido de liberdade provisória para que ela possa ter o direito de velar o corpo do filho, que ainda não foi liberado pelo Instituto Médico Legal (IML).

As crianças foram vitimadas durante um incêndio, possivelmente provocado por um curto circuito em um ventilador, que consumiu parte da residência da família na tarde de quinta-feira (5), em Várzea Grande. 

Segundo informações da polícia, a tragédia aconteceu quando a babá das crianças, Cleonice Nunes do Nascimento, 49, teria deixado os menores sozinhos. 

Mãe e babá foram detidas após a chegada da polícia e estão presas sob cuidados médicos dentro da unidade carcerária da Central de Flagrantes.

De acordo com o advogado Hélio Caldeira, a mãe deve velar o corpo do filho e aguardar o julgamento em liberdade, porque o fato não foi doloso e sim uma tragédia. “Ainda na manhã desta sexta-feira vou entrar com um pedido de liberdade e aguardar o juiz de plantão assinar. A mãe da criança não planejou nada, ela não é criminosa. O que aconteceu é uma tragédia, que infelizmente resultou em morte de uma criança. A mãe está inconsolável e em estado de choque”, disse o advogado.

Hélio Caldeira cuida apenas do caso de Quintina. Cleonice, a babá das crianças, tem outro advogado e ainda aguarda decisão judicial. Segundo informações da própria mãe das crianças, ela teria contratado Cleonice para buscar as crianças da escola, dar almoço e aguardar o retorno da mãe  do serviço, após o meio-dia, mas ontem isso não aconteceu e ela saiu antes do horário. “Ela só ficou sabendo do incêndio quando encontrou alguns vizinhos dizendo que a casa das crianças estava em chamas”, contou o advogado.

Quintina está sendo medicada na delegacia, onde aguarda o pedido de liberdade provisória ser acatada. A outra criança ferida está em estado grave sendo medicada no Pronto Socorro de Cuiabá.

 

Da Redação - Max Aguiar

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário