05/08/2016 - Relatório de Anastasia é aprovado na comissão e impeachment

A Comissão do Impeachment aprovou nesta quinta-feira (4) por 14 votos favoráveis o parecer do relator Antonio Anastasia (PSDB-MG) pelo impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. Outros 5 senadores votaram contra o andamento do processo por considerar que Dilma não cometeu crime de responsanbilidade ao praticar as pedaladas fiscais.

O voto foi registrado em painel eletrônico na sala da Comissão de Constituição e Justiça do Senado.

Como o relatório foi aprovado por maioria simples dos membros da Comissão, o processo que acusa Dilma pelas "pedaladas fiscais" segue para ser votado em plenário. O parecer será lido na tribuna da Casa, publicado no Diário do Senado e, em 48 horas, incluído na ordem do dia e votado. Se for arprovado no plenário, é marcada uma data para o julgamento final do impeachment. Só depois do julgamento final Dilma Rousseff pode perder o cargo de forma definitiva, caso condenada. Caso seja inocentada, a presidente reassume o posto.

O parecer de Anastasia foi apresentado na última terça-feira (2). No texto, o senador afirma que Dilma cometeu “atentado à Constituição”.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou que trabalhará para que o processo de impeachment contra a presidente afastada seja concluído até o fim de agosto. O cronograma do julgamento, no entanto, só deve ser fechado oficialmente após a Sessão Plenária de Pronúncia, presidida pelo presidente do STF, Ricardo Lewandowski, e prevista para ocorrer no dia 9 de agosto. A votação de terça será a primeira presidida pelo presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo Lewandowski, no plenário da casa.

Debate

Dos 21 senadores da comissão, 19 tiveram a palavra na sessão desta quinta (4), a última dessa fase do processo. No fim da discussão o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), disse que não vai perder a serenidade, apesar das 'palavras fortes' de alguns oradores. Ele diz que 'acredita na verdade'. Antes de Anastasia, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), da tropa de choque de Dilma na comissão, chamou o relatório de "fraude".

Discussão do relatório

Durante a discussão do relatório apresentado por Anastasia, o advogado de acusação, João Correia Serra, elogiou o parecer e ressaltou o conhecido caráter “centralizador” da presidente afastada, que servem, segundo ele, para atestar a impossibilidade de que Dilma não tivesse conhecimento ou que não comandasse diretamente os atos pelos quais é acusada.

— Não há como imaginar, sendo a presidente Dilma centralizadora e autoritária, como sempre se disse, não há como negar, porque isso é fato notório, que ela simplesmente ignorasse ou achasse que seus técnicos do Banco Central, do Banco do Brasil, da Secretaria do Tesouro Nacional, à sua revelia, teriam se juntado ao mesmo tempo numa ação concentrada para fazer uma ilegalidade gravíssima contra a Constituição. É claro que isso teve um comando, é inadmissível imaginar o contrário.

O advogado da defesa de Dilma, José Eduardo Cardozo, afirmou ter certeza de que o relatório de Anastasia não comprova que a presidente afastada tenha praticado crimes e acusou o relator de ter agido de maneira “apaixonada” ao escrever o parecer.

— Diante das provas dos autos, de tudo aquilo que foi provado pela perícia, pelas testemunhas, pelos documentos, eu tinha uma expectativa: conseguiria o senador Anastasia se libertar da paixão partidária e olhar os autos, olhar as provas, olhar direito? Conseguiria ele utilizar todo o potencial que sempre teve para buscar a verdade, ao invés de curvar-se à paixão? Com todas as vênias, o nobre relator, com toda a sua genialidade, não conseguiu isso; conseguiu defender, com o brilhantismo de praxe, a tese do seu partido, mas, efetivamente, ele não conseguiu reunir e captar a verdade desses autos. 

 

 

R7

Comentários

Data: 12/08/2016

De: Luis Gonzaga Domingues

Assunto: luisodomingues@hotmail.com

Os golpistas são hoje meia dúzia, pois descobriram que os políticos corruptos como Temer não os representam mais. Os ricos que acumularam riqueza através da sonegação de impostos, exploração dos trabalhadores/escravos e da corrupção ao longo da História do Brasil. Eles acreditam que levaram para o túmulo toda riqueza roubadas dos pobres e não por acaso que vão frequentar algumas igrejas financiando-as e distribuindo migalhas para os pobres através das mesmas. Querem acabar com os projetos e programas criados para atender as demandas da população mais pobre que ao longo do tempo foram explorados pelos ricos. Agora querem voltar ao poder sem ter sido eleito já que é prática do PMDB dar golpe desde que me conheço como gente.

Data: 06/08/2016

De: Luis Gonzaga Domingues

Assunto: luisodomingues@hotmail.com

Esse indivíduo que chama "trabalhador" além de covarde não teve coragem de escrever o nome. Você deve ter muito estudo! Nunca frequentou uma escola e além disso é analfabeto político e funcional. Não sabe que os partidos que mais roubaram esse país foram: PMDB, PDS, PFL, PP, PR etc.
O mal do PT foi permitir que indivíduos que vieram partidos se filiassem ao PT. Ex.: Delcídio do Amaral(PSDB) e outros tantos, principalmente do PMDB, etc.
Que contradição de idiota coloca o nome de trabalhador e é contra os operários. Será que o PSDB que representa os trabalhados. Vai estudar. Deixa de ser analfabeto.

Data: 05/08/2016

De: trabalhador

Assunto: corrupçao

graças a Deus PT nunca mais, fora Dilma, Lula e todos os petista.

Novo comentário