05/09/2015 - Quatro mil pessoas vão às ruas em protesto contra a homofobia

A 13ª Parada da Diversidade Sexual de Cuiabá reuniu cerca de quatro mil no Centro da Capital, nesta sexta-feira (4), segundo os organizadores do evento.

Os números divergem do apresentado pela Polícia Militar, que afirmou que no local tinha cerca de mil pessoas, conforme o tenente-coronel Maurício Monteiro.

Com o tema “Ame. Viva. Tenha Orgulho”, a Parada da Diversidade Sexual teve como ponto de concentração a Praça Ipiranga.

Os participantes começaram a se reunir no local por volta das 14h, onde cantaram o Hino Nacional, iniciando a marcha por volta das 16h, seguindo pelas avenidas Tenente Coronel Duarte (Prainha), Getúlio Vargas até à Câmara Municipal, na Rua Barão de Melgaço.
Ainda na concentração, grupos de dança animaram quem estava presente (veja o vídeo no final da matéria).

Segundo um dos organizadores da Parada Gay, Clóvis Arantes, o evento serve para mostrar às autoridades que os LGBTs (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) têm orgulho de serem o que são e querem ter seus direitos respeitados.

“Nós somos cidadãos e exigimos nossos direitos. Não queremos privilégio nenhum, pois pagamos nossos impostos como todo mundo. Queremos apenas ser feliz, amar e dizer que temos orgulho de ser o que somos”, afirmou.

“Queremos que a criminalização da homofobia seja válida em Cuiabá, queremos saúde e educação de qualidade. Nós não aceitamos o nível de exclusão que as escolas têm com os homossexuais por conta sua orientação sexual”, lamentou.

A rainha da Parada da Diversidade deste ano, Xica Silva, afirmou que o evento representa o respeito e o amor que a categoria espera da sociedade.

“Nós buscamos nosso lugar na sociedade. Que nós possamos ir a qualquer lugar sem sermos insultados, que possamos trabalhar e acabar com a homofobia, que as lésbicas tenham seus direitos na sociedade, porque somos seres humanos como todo mundo”, afirmou.

Caracterizado com maquiagem de feridas e sangue fictícios, com a boca amordaçada e as mãos presas, o drag queen Márcio Drummond, de 26 anos, disse representar a violência sofrida diariamente pelos homossexuais na rua, devido à sua orientação sexual.

“É uma demonstração pacífica que, infelizmente, os gays ainda passam. Quero mostrar o que esses atos de homofobias causam em nossas vidas. Apesar do sangue [da maquiagem] ser de mentira, a realidade nos faz sangrar de verdade”, disse.

A segurança da Parada Gay contou com 60 policiais militares e agentes de trânsito de Cuiabá (amarelinhos), que trancaram as ruas por onde o público iria passar.

Shows

A programação da Parada Gay ainda se estende até às 21h, em frente à Câmara de Cuiabá, com shows das cantoras Pietra Mello, Stheffani Theto, da dupla Sarah & Lívia, do cantor cuiabano Hendson Santana e da rapper Kessidy Kess, entre outros.

Além disso, durante o fim de semana, haverá a festa oficial da Parada Gay 2015, agendada para sábado (5), no Club Hot Spot, bem como outras festas alusivas ao evento, em outras casas noturnas da Capital.

 

 

Jad Laranjeira 
Da Redação

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário