05/12/2012 - Rodovias estão bloqueadas no Posto da Mata; a BR 158 poderá ser trancada em vários pontos de Barra a Vila Rica

 

Água Boa, 05.11.2012 às 09h35 - Desde as 07h00 desta quinta-feira (05) as duas rodovias BR 158 e MT 242 que se cruzam no Posto da Mata estão bloqueadas em vários pontos, em protesto contra a desintrusão da área Suiá Missú/Marãiwatsédé programada para começar amanhã. Segundo Paulo Vieira Gonçalves da Aprosun outros pontos desde Barra do Garças até Vila Rica serão bloqueados em instantes. O bloqueio deverá permanecer somente hoje e se não conseguirem a reversão da desintrusão no STF, o manifesto continuará a partir de amanhã no Posto da Mata.

 

O clima é tenso na região, haja vista que chegaram aos últimos dias mais um aparato de caminhões, homens e máquinas do departamento de engenharia do Exército, que estão prontos para agir atendendo a determinação judicial. Também está em Alto Boa Vista uma grande equipe de saúde do exército para dar suporte à operação em caso de conflito.

 

Segundo o comandante da operação tanto o departamento de engenharia quanto o de saúde estão na cidade para prestar serviços sociais à população, e que não tem nada a ver com a equipe que está dando apoio à Policia Federal, Força Nacional e PRF para o trabalho de retirada dos produtores.

 

Nesta terça-feira (04), já na parte da tarde, Paulo Vieira Gonçalves da Aprosun – Associação dos Produtores da Suiá-Missú disse que estas ações sociais anunciadas pelo exército nunca aconteceu em outras ocasiões e por isso a população acredita que seja usada estas máquinas para derrubar as construções edificadas com sacrifício ao longo de muitos anos. A Aprosum está buscando apoio dos prefeitos de toda a região para juntos buscarem uma maneira de protestar contra as ações.

 

A Aprosum através da assessoria jurídica espera que poderá no dia de hoje quarta-feira (05.12) ainda ter uma reviravolta, uma reversão da Justiça suspendendo a desintrusão. A esperança surgiu após a reunião do dia 22.11 no Posto da Mata onde milhares de pessoas pediram clemência para continuarem na área.

 

Na oportunidade uma Comissão Externa da Câmara dos deputados liderada pelo deputado matogrossense Wellington Fagundes (PR) juntamente com uma representante da AGU- Advocacia Geral da União sobrevoaram a área e depois ouviram das lideranças inclusive indígenas remanescentes de Marãiwatsédé que ali não é e nunca foi área indígena. Dali foi redigido um documento minucioso (que segundo a associação) prova ilegalidades no processo. O documento foi entregue na sexta-feira (30.11) ao Ministro do STF- Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa por autoridades políticas de Mato Grosso lideradas pelo governador Silval Barbosa.

 

“A equipe dele está analisando o processo, mais ele não antecipou resultado nenhum, nem favorável e nem contrario disse que vai analisar com muito cuidado e muito critério e vai julgar”, disse o governador após sair da reunião. Acompanhou o governador o dep. Federal Wellington Fagundes (PR), que é o coordenador da equipe externa da Câmara que visitou a localidade, o senador Cidinho dos Santos (PR), dep. Estadual Baiano Filho (PMDB) e o advogado da Aprosum Dr. Luiz Alfredo.

 

A Aprosun também tem o apoio de todos os sindicatos rurais através da FAMATO.

 

Escrito por Kassu / Água Boa News