05/12/2014 - TERRA PROMETIDA: Juiz federal manda soltar, de cabo a rabo, todos acusados

O juiz federal substituto, Pablo Dourado,  do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF), de Brasília, determinou a liberdade de todos os os acusados de grilagem e operações documentais e fraudulentas que estavam presos desde a última quinta quinta-feira (27) durante a Operação “Terra Prometida da Polícia Federal.

A decisão inicial foi a favor do agro-empresário  Antônio Adi Mattei, um dos que estavam presos, e se estendeu aos demais detidos. Entre os contemplados pela decisão figura, os dos irmãos do ministro da Agricultura, Neri Geller, Milton Geller e Odair Geller, o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Marino Franz, acusados também de liderar e pertencer a uma quadrilha especializada em grilagem de terras federais e falsificação de documentos agrários. Servidores do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) presos também, estão soltos ou esperam apenas,  como parte de todos os envolvidos, a chegada dos habeas corpus para a soltura.

A decisão do juiz federal impede, a captura de acusados que se evadiram durante a Operação Terra Prometida, desencadeada em Cuiabá e municípios do Nortão.  A Operação prendeu suspeitos nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, também beneficiados pela decisão da justiça federal.

A prisão dos envolvidos e suspeitos, como a própria Operação Terra  Prometida, havia sido da decisão da Justiça Federal de Diamantino (MT) .