05/12/2017 - Governo anuncia a criação de duas novas escolas no Araguaia

05/12/2017 - Governo anuncia a criação de duas novas escolas no Araguaia

A Secretaria de Estado de Educação, Esporte e Lazer (Seduc) anunciou, neste domingo (03.12), a criação de mais duas novas escolas no município de Água Boa (730 km a leste de Cuiabá), sendo uma escola de ensino integral vocacionada ao esporte. Há mais de 30 anos, a região não recebe uma nova unidade escolar.

Neste domingo, o secretário de Educação, Esporte e Lazer, Marco Marrafon, se reuniu com vereadores, empresários, pastores de igrejas evangélicas, gestores escolares, representantes da agricultura familiar e o prefeito de Água Boa, Mauro Rosa da Silva, para debater sobre a criação das novas unidades e os investimentos para a educação no município. O encontro também contou com a participação do assessor especial da Casa Civil, Beto Correa.

Conforme o prefeito, a escola estadual mais nova do município foi construída em 1986, ocasião em que Água Boa tinha apenas 7 mil habitantes. “A nossa realidade mudou e hoje temos mais de 32 mil moradores no nosso município”, afirmou.

Durante o encontrou, Marrafon aproveitou para visitar as instalações das escolas estaduais Antônio Grohs e 9 de julho, além do terreno que abrigará uma nova escola de ensino médio.

Segundo o secretário, a nova unidade será modular, totalmente climatizada, contando com 12 salas de aula e capacidade para atender mais de mil alunos. A unidade será instalada no início de 2018.

Em seguida, a comitiva visitou o Ginásio de Esportes Domingos Zandoná, que irá abrigar uma escola de ensino integral vocacionada ao esporte, nos mesmos padrões da Arena da Educação, em Cuiabá. A Prefeitura se disponibilizou a ceder e adequar o espaço para receber a unidade.

“Será uma escola integral com a melhor qualidade de ensino e alimentação para as nossas crianças, esse é um projeto que temos muito orgulho e carinho. E por isso ficamos ainda mais felizes de implementá-lo aqui, nessa comunidade”, afirmou o secretário.

Ao final da manhã, Marrafon realizou a palestra: A Educação que Queremos no distrito de Santa Maria. O evento reuniu mais de 300 pessoas entre representantes de 42 Projetos de Assentamento Rural da região e membros da comunidade evangélica.

PRÓ-ESCOLAS

As obras fazem parte do Pró-Escolas, maior programa de investimentos da história da educação de Mato Grosso, com um investimento de R$ 360 milhões para reforma e construções de unidades escolares em 2017 e 2018.

O programa visa a melhorar a qualidade de ensino e alavancar os indicadores educacionais no estado. Este ano, 18 novas unidades escolares já foram inauguradas.

No plano de ações do Programa constam ainda a melhoria dos resultados do Estado no IDEB; redução do analfabetismo da população com 15 anos de idade ou mais; valorização e capacitação dos profissionais da Educação; redução da evasão escolar; e a ampliação do número de escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, as Escolas Plenas.

 

FONTE: Seduc-MT | Gustavo Nascimento

Comentários

Data: 05/12/2017

De: Luis Gonzaga Domingues

Assunto: luisodomingues@hotmail.com

O governo do Estado de Mato Grosso está enganandomais uma vez a população pobre com a proposta de construção de duas escola em Água Boa. Só que população e o Secretário de Educação do Municípo não sabem ou faz de conta que não interessa o modelo estrutural(físico) e também a proposta pedagógica a ser adotada nas referidas escolas. Não minha opinão, nem ele e muito menos os políticos do município possuem conhecimento suficiente para discutir com o governo uma escola com estrutura adequada a realidade atual com objetivo de desenvolver um projeto pedagógico que faça com que os alunos se tornem pessoas críticas, participativas, poletizadas, etc. O modelo a ser adotado será o mesmo da idade média, onde o quadro e o giz serão as ferramentas mais importantes, ou seja, uma escola tradicional, positivista e que tem com finalidade o controle do aluno. É o mesmo modelo adotado pelo exército brasileiro e que já existe na região, em Água Boa e no Brasil. Portanto, a produção do conhecimento científico por parte dos professores e alunos não interessa aos analfabetos funcionais e políticos do município. A coligação política local é composta por partidos com diferentes ideologias. Jamais iria querer uma escola que tenha projeto como objetivo atender as necessidades da população pobre.

Novo comentário