06/01/205 - Vou desmontar grupos ou panelas privilegiadas na Cultura, diz Leandro

Para coibir a prática de desvio de recursos de projetos da secretaria estadual de Cultura, o próximo gestor da pasta fundida com Esporte e Lazer, maestro Leandro Carvalho, sustenta que é preciso ter uma gestão transparente e que privilegie projetos que são de extrema relevância, além da necessidade de acompanhamento dos projetos e resultados obtidos. “Para isso vamos dialogar com vários segmentos do Estado. O episódio (da Operação Alexandria) mostrou que o sistema hoje não funciona.”, explica.

 

A Operação Alexandria desmantelou suposto desvio de recursos obtidos por meio do Programa de Apoio à Cultura (Proac), da Cultura, apresentados nos anos 2012, 2013 e 2014. Um dos principais articuladores do esquema teria sido o ex-conselheiro Alceu Marcial Cazarin e sua mulher Elaine Cristina da Silva Naves, que, segundo as investigações, geriam projetos no valor de R$ 1 milhão, entre os três anos.

 

O secretário ressalta ainda que irá fazer política de acessibilidade, principalmente, àqueles que não têm condições de elaborar um projeto. O intuito, conforme Leandro, é levar conhecimento a essas pessoas. “Quero construir a gestão passo a passo com diálogo com as pessoas. Vou desmontar eventuais grupos ou panelas que são privilegiados, isso não vai existir”, dispara.

 

Leandro confessa ainda que ficou surpreso com o convite do governador Pedro Taques (PDT). A aceitação foi em decorrência da consistência no Plano de Governo e da equipe de secretários. Para ele, a grande reforma administrativa que irá acontecer vai revolucionar o Estado. "Capacitação, promoção da Cultura e entendimento dela como um setor da economia, gerador dos impostos, emprego e renda serão os pilares da nova gestão da pasta", salienta.

 

Perfil

Graduado em Música Erudita pela Faculdade Santa Marcelina, em São Paulo, e pós-graduado em Regência Orquestral na Holanda e na Järvi Academy na Estônia. Trabalhou na secretaria estadual de Cultura como assessor especial de 2003 a 2004, na gestão do ex-governador, senador Blairo Maggi (PR). Na oportunidade, Leandro desenvolveu diversas ações de fomento ao setor, com destaque a primeira participação governamental do Brasil na maior feira da indústria fonográfica do mundo, o MIDEM, realizado anualmente em Cannes, na França. 

 

 Leandro também foi regente assistente na Orquestra Sinfônica Brasileira, no Rio de Janeiro, de 2011 a 2013, e fundador da Orquestra do Estado de Mato Grosso, onde atua como diretor artístico e regente principal.

 

 

Tarso Nunes e Jacques Gosch

 

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário