06/02/2011 - 09h31 Talento de Cáceres no futebol vai para o Manchester da Inglaterra

João Arrueda
de Cáceres

Uma das mais recentes promessas do futebol brasileiro é natural de Cáceres , cidade do Oeste de Mato Grosso. Trata-se do atacante Aguillar Aparecido de Oliveira, 15 anos, mais conhecido como Aguilar.  O garoto é titular da Seleção Brasileira sub 17, que está concentrada na Granja Comary, em Teresópolis (RJ),  atuando como centro-avante. Ele vai disputar o Sul Americano  no Equador. Tão novo, tão menino e já não é mais produto local: seus direitos econômicos  pertencem ao Manchester  United, da Inglaterra.

Aguilar  atualmente joga pelo Desportivo Brasil, de Presidente Prudente, clube que funciona como uma franquia do  time inglês, numa parceria com a Traffic, do empresário Jota Havilla. É um craque. "É um jogador diferente, centroavante de área mesmo e que é muito bom no jogo aéreo” – diz o técnico Emerson Ávila, da Sub-17.

Para chegar a essa condição,  pai do garoto, o policial militar aposentado Cleodomir Oliveira, conta com orgulhos os sacrifícios. “Não foi fácil, mas tudo tem seus sacritfícios” – diz. O militar reformado disse  que no ano passado foi surpreendido com a visita do empresário Jota Havilla, em sua residência no bairro Jardim Cidade Nova, área periférica de Cáceres. O cartola tinha visto o jogador atuar partidas durante excursões que o  CTN de Cáceres fez em 2008 pelo interior de São Paulo. Contratou-o!

Apesar da pouca idade, Aguillar passou uma temporada no Cruzeiro de Belo Horizonte (MG), mas não se adaptou , tendo em vista que o custo de passagens e uniformes era bancados pelo pai em Cáceres. Foi quando recebeu uma proposta do emissário inglês para efetuasse a sua transferência para o Centro de Treinamento , em Presidente Prudente. Além do contrato com a Traffic/Manchester, o garoto passou a ter patrocínio da Nike na parte de uniformes.  Esses gastos vinha sendo custeados pela família.

Cleodomir relata que desdobrar para manter o menino fora do Estado apenas  com o soldo de militar reformado da PM de Mato Grosso. Conta que  não conseguia dar conta das despesas e até arranjou um bico como instrutor de auto escola para custear o garoto.

Mas tranqüilo, Cleodomir não fala em cifras. Ele desconversa quando é indagado sobre a suposta acusação de que o Manchester/Traffic  teria lhe adiantado R$ 450 mil, para arrancar o jogador do Cruzeiro de Minas, e assinar como clube inglês. O caso ganhou repercussão nas páginas dos jornais especializados a partir das denuncias do presidente do Cruzeiro, que acusou a empresa de marketing esportivo de estar aliciando jogadores de sua base e citou o cacerense Aguilar.

 “Isso não é verdade.  O Zezé Perrela nunca havia nos procurado, nunca tive oportunidade de assistir um jogo sequer do garoto em Minas, nunca pagaram nem chuteiras, nem passagens entre Cáceres e Belo Horizonte” - explicou o pai.

O militar reformado diz que agora, com a  Traffic, Aguillar tem estudos bancados em escolas particulares com inclusão de aulas em inglês. No contrato consta três estágios anuais na Europa, incluindo Holanda e Inglaterra, e ao completar 18 anos estará mudando para um desses países.

Cleodomir conta que desde a infância o menino já se mostrava talento raro para o futebol. Matriculado no Centro de Atenção Integral da Criança (CAIC) em Cáceres, ele se destacou ainda no infantil. Dali migrou-se para o clube mantido pelo Centro de Tradições Nordestinas (CTN) que fica anexo ao Caic.  Hoje está na Seleção Brasileira como titular da posição.

Bastante conhecido em Cáceres, Cleodomir já atuou no futebol ele era destaque no Tiradentes, uma equipe formada pelo coronel Adaildon Moraes, quando da sua passagem como tenente pelo municipio de Cáceres. Cleodomir acredita que pelo fato de ter jogado futebol, percebeu que seu filho tinha potencial para grandes clubes. Modesto ele revela que o sonho é ver Aguillar, atuando um dia pela Seleção Brasileira, principal.

O caminho está trilhado.  Em 2010, vestindo a camisa do DB, Aguilar foi um dos artilheiros do Campeonato Paulista Sub-15, ao marcar 15 gols. No mesmo ano, o atleta participou do vice-campeonato rubro celeste na Copa Ouro Tupi, vencida pelo Santos. O atacante cacerense é o primeiro jogador do Desportivo Brasil a ser chamado para uma seleção – o que lhe rendeu destaque no site que o clube mantém na internet.