06/02/2011 - 13h:36 Seis padres da Baixada Cuiabana renunciaram ao sacerdócio por amor

Da Redação - PA

Existem pelo menos seis casos recentes, incluindo o do frei Erivan Messias da Silva, preso na saída de um motel com uma adolescente de 16 anos, de padres que foram afastados pela Igreja ou tiveram de pedir afastamento por causa de envolvimento amoroso com fieis.
Conforme reportagem do jornal Diário de Cuiabá, que circula neste final de semana no Estado, há três meses, o pároco de uma igreja de Cuiabá, de 35 anos, foi afastado do exercício do sacerdócio depois de ser flagrado na companhia de um rapaz de pouco mais de 20 anos, com o qual se relacionava há algum tempo.
A descoberta somente aconteceu porque o padre estava sendo chantageado por uma funcionária responsável pela limpeza da casa paroquial.
A mulher, além de vê-lo com o rapaz, descobriu uma câmera fotográfica em que havia cenas amorosas entre o religioso e seu amante. Ela teria mostrado as imagens para pessoas da comunidade e exigia dinheiro do pároco para não levá-las à mídia.
A reportagem apurou que o padre precisou denunciá-la à Polícia Civil porque sentia sua vida ameaçada. Agindo assim, não teve como continuar ocultando a vida paralela que mantinha.
Há pouco mais de dois anos, a situação de quebra do juramento do celibato envolveu um padre e uma professora. Os dois trabalhavam na mesma escola católica e mantinham um relacionamento sigiloso, até a professora engravidar. Descobertos, o religioso acabou abandonando a batina.
Há cerca de quatro anos, um outro padre - que também atuava em uma comunidade católica da periferia de Cuiabá e que tinha até filho com uma fiel - se viu obrigado a deixar a Igreja.
Esse religioso chegou a viajar para Roma, onde fez curso de extensão do ministério religioso, por conta da Igreja Católica, deixando aqui a mulher grávida. Ao retornar, continuou se relacionando com a mesma pessoa.
Como a história amorosa se tornava cada dia mais evidente, acabou sendo chamado por seus superiores, momento que decidiu abandonar a batina. Informações dão conta de que hoje ele constituiu família com a então amante, com quem já tem outros filhos.
Os outros dois casos ocorrem em duas cidades vizinhas à Capital. Em ambos os religiosos também se envolveram com mulheres.
Um deles decidiu abandonar a igreja de imediato. Já o outro permaneceu por um longo período no ministério religioso, apesar dos comentários que corriam na pequena cidade de pouco mais de 18 mil habitantes. Sua saída somente aconteceu após a gravidez e o nascimento do filho.
O caso do frei Erivan Messias da Silva, de 50 anos, foi o único que se tornou um escândalo policial e ocupou espaço na mídia. Os outros cinco casos, como não caracterizaram crime, tiveram repercussão nas comunidades e foram tratados internamente pela Igreja.