06/02/2012 Por 7 votos a 4, MPE decide manter investigação da participação de Maggi no 'rombo' de R$ 44 milhões

O Conselho Superior do Ministério Público Estadual (MPE), por sete votos a quatro, decidiu manter o processo que investiga uma eventual participação do senador Blairo Maggi no escândalo dos maquinários, que resultou no desvio de R$ 44 milhões dos cofres públicos, no processo de licitação de 705 máquinas do programa MT 100% Equipado.

O pedido de investigação foi formulado depois que os promotores do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa solicitaram ao procurador geral de Justiça, Marcelo Ferra, que apurasse a denúncia do suposto envolvimento de Maggi no caso de superfaturamento. 

O procurador geral já havia se posicionado contrário à continuidade das investigações por acreditar ser desnecessário tal desgaste para a própria instituição, visto que as investigações do procurador Hélio Fredolino Faust não confirmaram nenhuma participação de Maggi. 

Porém, com o pedido de vistas feito pelo procurador José Medeiros, o julgamento foi adiado e retomado hoje. Até às 11h, só faltava o voto da procuradora Eliana Maranhã Sá Ayres, que acabou votando pelo arquivamento.

Na reunião do dia 19 de dezembro, quatro conselheiros já tinham votado favoravelmente à continuidade das investigações, seguindo voto do relator do processo, o procurador Singer Tutya, enquanto que três votaram a favor do arquivamento.

Na continuidade, o corregedor da Procuradoria de Justiça, Mauro Viveiros, se manifestou favorável a investigação, pois, para ele, Maggi não só idealizou o Programa “MT 100% Equipado” como também acompanhou todo o processo e pediu que fosse dada celeridade à aquisição, o que teria gerado supressão de etapas.

Viveiros salientou ainda que o ex-governador em nenhum momento censurou os atos dos ex-secretarios de Administração e Infraestrutura, Geraldo De Vitto e Vilceu Marchetti, respectivamente. Diante disso, a votação está em sete a três, pela continuidade das investigações contra Maggi.

 

Da Redação - Julia Munhoz/ Da Reportagem Local - Rene Dióz

Comentários

Data: 10/02/2012

De: Karloss

Assunto: sei

isso nao é nada diante das fraudes que ele praticou, mas ele nunca, nunca sera condenado é um dos coroneis de MT.

Novo comentário