06/02/2012 Zoonoses alerta sobre o risco de animais durante época de chuva

O período das chuvas provoca o desalojamento de animais peçonhentos como aranhas, escorpiões e aumenta a incidência de caramujos, segundo o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) da secretaria municipal de Saúde (SES), de Várzea Grande. É preciso que as pessoas fiquem atentas para o surgimento desses animais que podem provocar doenças. 

Não adianta manter a residência limpa, se jogarmos lixo nos terrenos baldios próximos das casas. A sujeira atrai, alimenta e serve de abrigo para estes animais. Os agentes ambientais do CCZ são treinados para atuar de forma mais eficaz no período das chuvas.

Moradores do residencial Júlio Domingos de Campos reclamam da proliferação de caramujos nas casas. “Não aguento mais eliminar os caramujos do meu quintal, todos os dias aparecem muitos. Acho que o lixo descartado pelos moradores nos arredores do bairro está contribuindo para o aparecimento dos animais peçonhentos nesta região”, afirma Adenildo Pereira, morador da Avenida B.

A diretora, Valdilene Antônia Santos, lembra que a alta incidência de animais que causam algum tipo de prejuízo à população é sazonal e varia de acordo com o período de seca e de chuvas. De modo geral, escorpiões, roedores (ratos), morcegos e pombos estão presentes durante todo o ano e devem receber a atenção redobrada da população. 

“Quando somos chamados para atender casos, principalmente de alta incidência, as pessoas acham que vamos chegar prontos para o extermínio. Matar pombos e morcegos, por exemplo é crime ambiental, mesmo que eles possam trazer doenças ao homem. O que podemos fazer é orientar para que a incidência seja reduzida e, sempre que houver problemas, a pessoa deve entrar em contato com o CCZ”, alerta a diretora.

Como eliminar o caramujo - Recolha os caramujos manualmente, sempre com luvas descartáveis ou sacos plásticos; para matá-los, deve-se queimá-los dentro de latas ou tonéis; depois quebrar as conchas e enterrá-las; não deixe em seu terreno telhas, tijolos, sobras de construções ou excesso de plantas. Também pode simplesmente esmagá-los e enterrá-los; não coloque os caramujos no lixo, pois eles poderão  transferir a infestação.

Os animais sinantrópicos, como todo ser vivo, necessitam de três fatores para sua sobrevivência: água, alimento e abrigo. A água não é fator limitante no nosso meio, mas podemos interferir nos outros dois fatores - alimento e abrigo - de modo que espécies indesejáveis não se instalem ao nosso redor.

A cada dois meses, um caramujo põe 200 ovos e, após cinco meses, os filhotes viram adultos e começam a se reproduzir. Ele sobrevive o ano todo, se reproduzindo mais rapidamente no inverno. É resistente à seca e ao frio. Sobrevive em terrenos baldios, plantações abandonadas, sobras de construções, pilhas de telhas e de tijolos. 

As informações são do centro de zoonoses de Várzea Grande, que está aberto para prestar orientações em saúde em qualquer caso. Para saber se há necessidade de visita de agentes e biólogos, basta entrar em contato pelo telefone 3688-3186/3187. A desinsetização – como eles chamam - é apenas realizada em órgãos públicos.

 

Da Redação - Lucas Bólico

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário