06/03/2015 - Novo porto no Maranhão carrega 1º navio com soja oriunda do Araguaia

O novo terminal de grãos Tegram, no Porto de Itaqui, em São Luís, no Maranhão, fará, na próxima semana, o seu primeiro embarque de soja em um navio que transportará os grãos até a China. De acordo com a administração do porto, a atracação ocorrerá no dia dez de março para carregar 66 mil toneladas da oleaginosa.

A soja que será embarcada é oriunda de Mato Grosso, principalmente da região Nordeste do Estado, também conhecida como Norte-Araguaia. Somente de armazéns da Louis Dreyfus e da CHS, em Querência (724 km de Cuiabá), saíram, durante o mês de fevereiro, cerca de 40 bitrens por dia rumo à capital maranhense, percorrendo trecho de aproximadamente 1.8 mil quilômetros.

"No auge da safra serão 150 a 200 caminhões diariamente", projetou Leandro Miranda Gomes, gerente da filial de uma transportadora em Querência, em consulta feita pela Thomson Reuters.

A nova rota de escoamento para a soja produzida no Norte-Araguaia mato-grossense é uma alternativa aos portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR). Além de a distância rodoviária ser um pouco menor – o que, em tese, significa frete mais barato -, haverá economia com o frete marítimo, pois os navios partirão para a China a partir da região Norte do Brasil – economizando cerca de três mil quilômetros de rota marítima.

O Nordeste de Mato Grosso está entre as novas fronteiras agrícolas do país e sofre com a falta de logística de transporte. Os produtores rurais que plantam na região estão tentando viabilizar a pavimentação de uma rodovia ligando o Araguaia até à Ferrovia Norte-Sul, no Tocantins. O trecho ferroviário foi inaugurado há poucos dias e os trens poderão levar soja até o porto de São Luis. Assim, a economia com transporte seria maior, já que o frete ferroviário é mais barato que o rodoviário.

 

 

 

Olhar Direto
Alexandre Alves

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário