06/03/2015 - Os Aeroportos Regionais do Brasil – O que nos Espera em 2019!

Os três maiores fabricantes de aeronaves regionais, tanto de turboélices quanto de jatos, tem planos ambiciosos para o mercado mundial de aeronaves regionais e para as cidades médias.

Dentro de perspectivas de crescimento desse mercado, esses fabricantes já estão desenvolvendo os primeiros protótipos para a segunda geração de jatos e turboélices regionais.

O atual turboélice de 70 lugares já tem uma versão para 86 lugares. A primeira aeronave já foi entregue a um cliente da Ásia. Acredita-se que o fabricante concorrente irá lançar a versão para 90 lugares imediatamente.

Os jatos regionais acomodam de 76 passageiros a 118 passageiros, dependendo do modelo. Em 2019 aterrissa a segunda geração de jatos regionais no mercado mundial e brasileiro. O modelo novo deve acomodar 132 passageiros ou 144 em configuração de alta densidade. O outro fabricante propõe 130 passageiros e duas versões de alta configuração, 145 e 160 lugares.

Pelo exposto acima fica fácil perceber que tanto o turboélice quanto o jato irão crescer e ficar mais pesados. Talvez seja um erro projetar os aeroportos regionais sem levar em consideração as aeronaves mais pesadas e maiores que estão para chegar!

Acredito que a resistência MÍNIMA do piso asfáltico deve ser para 29t, quando se pretende receber turboélices, e Mínimo de 60t para os jatos regionais. Exemplo:  propostas de 23t para algumas cidades e pistas menores que 1.700m de comprimento podem ser um erro estratégico e replicado em muitos município do Estado.

Aeroporto Regional é também todo aquele aeroporto que já nasce operando voos por instrumento nas aproximações, pousos e decolagens baseados em informações GPS. Nenhum aeródromo pode receber o nome de “aeroporto” em pleno século 21, se não operar por instrumento. O GPS substitui com maior segurança e sem custos os antigos equipamentos afixados ao solo. O GPS é livre, grátis, sem ônus nem taxas.
 

Não podemos construir pistas e aeroportos regionais para o hoje. O hoje já é passado!

 

Turboélice = 1.700m x 30m + 29t + GPS

Jato regional = 2.200m x 45m + 60t + GPS

 

Claudio Louzada - Consultor para o Modal Aéreo.
Carrascosa & Louzada Engenharia e Soluções Empresariais

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário