06/05/2014 - Energisa anuncia principais obras em Mato Grosso até 2017; duplicação do Linhão até Nova Xavantina será uma das obras

A Cemat – agora sob o comando do Grupo Energisa – vai investir R$ 1,447 bilhão no sistema elétrico de Mato Grosso nos próximos quatro anos. O valor significa um incremento de 73,4% na média anual de investimentos da empresa desde 2010. Essa média vai saltar de R$ 208,7 milhões para R$ 362 milhões anuais.

A distribuidora mato-grossense ficará com a maior parcela dos investimentos previstos pelo grupo nas oito empresas recém-adquiridas. O diretor presidente da empresa, Wilson Couto, explica que o montante será distribuído de acordo com as necessidades atuais e com as projeções para o crescimento do mercado consumidor em cada região do Estado.

O valor inclui a construção de pelo menos nove subestações novas, bem como a ampliação ou melhoria de outras 34. Serão construídos quase 900 quilômetros de linhas de alta tensão – além de investimentos pesados na extensão, melhoria e manutenção das redes de distribuição. Os investimentos também incluem a automação de subestações e linhas, que passam a ser comandadas de forma remota – tornando o atendimento muito mais ágil em caso de falta de energia. Segundo Couto, além da construção de novas instalações, será dada atenção especial à manutenção das estruturas existentes, sempre com foco em aumentar a confiabilidade e a qualidade da energia distribuída.

Os municípios da região de Cuiabá receberão investimentos de R$ 429,1 milhões. Estão previstas a construção de três subestações, sendo duas em Cuiabá (Beira Rio e Ribeirão do Lipa) e a terceira no município de Jangada. Diversas outras subestações terão a capacidade ampliada ou serão automatizadas, de forma a proporcionar maior confiabilidade ao fornecimento de energia para a região. A capital e municípios próximos também receberão novas linhas de alta tensão, obras de extensão na rede de distribuição e aquisição de equipamentos como transformadores e bancos de capacitores.

Para os municípios da região Sul do Estado, estão previstos investimento de R$ 240,1 milhões – que incluem a construção de uma subestação em Alto Taquari, ampliação da capacidade de diversas outras subestações e a construção de uma linha de alta tensão (138 KV) com 75 quilômetros de extensão, ligando a subestação de Alto Taquari à da Ferronorte, em Rondonópolis.

Já a região do Araguaia receberá obras importantes para o atendimento ao mercado crescente, como a duplicação de 175 km de linha de alta tensão em 138 KV, ligando Barra do Garças a Nova Xavantina. Os investimentos na ampliação de diversas subestações, construção de linhas e outras melhorias na região chegam a R$ 187,1 milhões – e deverão atender à demanda da região enquanto um novo ponto de suprimento é licitado pelo Governo Federal.

Para a região Norte, os investimentos serão de R$ 328 milhões – o que inclui a construção de cinco novas subestações (Ipiranga do Norte, Tapurah, Nova Uniratã, Sorriso e Sinop) e de 350 km de linhas de alta tensão (138 KV), para o atendimento ao mercado e melhoria da qualidade da energia fornecida à população de várias cidades.

No Médio Norte, investimentos de R$ 171 milhões permitirão a ampliação da capacidade de subestações em diversos municípios - como Tangará da Serra, Nova Olímpia, Sapezal, Nobres e Barra do Bugres -, permitindo que o mercado consumidor de energia na região possa crescer e garantindo confiabilidade ao sistema.

O Oeste do Estado vai receber a ampliação de subestações em Cáceres, Pontes e Lacerda e Araputanga, além da construção de uma linha de 34,5 KV com 80 km de extensão, ligando São José dos Quatro Marcos, Rio Branco e Lambari d’Oeste. Serão investidos R$ 91,3 milhões na região, que receberá obras de extensão de redes, automação de subestações e linhas, adequação de circuitos para redução de perdas e aquisição de equipamentos.

Investimentos Cemat | 2014 a 2017

Cuiabá e região (Regional Metropolitana)

R$ 429.133.360,66

Sul (Regional Rondonópolis)

R$ 240.997.927,95

Norte (Regional Sinop)

R$ 328.006.540,87

Araguaia (Regional Barra do Garças)

R$ 187.163.112,54

Médio Norte (Regional Tangará da Serra)

R$ 171.197.789,40

Oeste (Regional Cáceres)

R$ 91.366.130,26

Total

R$ 1.447.864.861,68

 

Sobre o Grupo Energisa 

Com 109 anos de história, o Grupo Energisa é um dos maiores do Brasil em distribuição de energia elétrica. Uma das primeiras a abrir capital no Brasil, a companhia controla 13 distribuidoras emMinas Gerais (Energisa Minas Gerais e Bragantina), Paraíba (Energisa Paraíba e Energisa Borborema), Rio de Janeiro (Energisa Nova Friburgo), Sergipe (Energisa Sergipe), Mato Grosso (Cemat), Mato Grosso do Sul (Enersul), Tocantins (Celtins), São Paulo (Caiuá, Vale Paranapanema e Nacional) e Paraná (Força e Luz do Oeste).

São aproximadamente 6 milhões de clientes e uma população atendida de 15 milhões de pessoas, em 788 municípios detodas as regiões do Brasil. Com receita líquida anual de R$ 8,9 bilhões, o grupo gera cerca de 10 mil empregos diretos.

Com a missão de transformar energia em conforto, desenvolvimento e oportunidades de forma sustentável, responsável e ética, a Energisa atua com um diversificado portfólio que engloba distribuição, geração (Energisa Geração) – com foco em energias limpas e renováveis, entre eólicas, biomassa e PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas) -, serviços para o setor elétrico (Energisa Soluções) e comercialização de energia (Energisa Comercializadora).

A Cemat atende a 1,2 milhões de clientes nos 141 municípios do Estado de Mato Grosso. São mais de 1900 colaboradores diretos.

 

 

Comentários

Data: 09/08/2014

De: jelre

Assunto: enovaçao

Essa empressa é uma marca enovadoura

Novo comentário