06/06/2011 - 22h:09 Silval afirma que discussão sobre divisão de MT ficou no passado

 Com o debate sobre redivisão territorial ganhando força na região Norte de Mato Grosso, por causa do futuro plebiscito para ouvir a população do Estado do Pará, sobre a criação dos estados do Carajás e Tapajós, o governador Silval Barbosa (PMDB) ‘saiu pela tangente’, em entrevista em Sinop, e disse que essa discussão ficou para trás, por causa de políticas governamentais que contemplaram o Nortão.


“A discussão já teve muito mais força no passado, quando nós sentíamos a ausência dos governos estadual e federal. Hoje, diminui essa força, quando você começa a ter as conquistas importantes, como a logística do Estado sendo viabilizada e beneficiando esta região”, opinou o chefe do Poder Executivo estadual.

Ele citou, por exemplo, os ganhos que o setor produtivo terá com obras importantes, como rodovias federais e ferrovias. “Como é o caso da BR-163, que passou por completa reforma aqui na região e está sendo construída até o Porto de Santarém, das BR’s 242 e 080, ligando o Nortão ao Araguaia, sem falar na ferrovia até Lucas do Rio Verde”, pontuou.

O posicionamento atual de Silval com relação ao tema, embora aceitável – já que comanda o governo estadual e, logicamente, não quer nem ouvir falar em divisão neste momento - é contraditório ao discurso de quando era deputado estadual. O peemedebista foi um dos que ‘levantou mais alto’ a bandeira da divisão de Mato Grosso, fazendo o debate ‘efervescer’ no Nortão.

No Congresso Nacional, há dois projetos de divisão do Estado guardados em gavetas, sem prazos para serem analisados. Um é do ex-deputado federal Rogério Silva, criando o “Mato Grosso do Norte”. Outro texto é do deputado Wellington Fagundes (PR) que, além de novo Estado no Nortão, também pediu a criação do “Estado do Araguaia”. 

Fagundes, aliás, chegou a pedir, em 2010, à mesa diretora da Câmara, para retirar o projeto. Todavia, como há outros autores conjuntamente, o requerimento foi negado.

 

De Sinop - Alexandre Alves

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário