06/07/2015 - Estados do Centro-Oeste e Tocantins criam Fórum pelo desenvolvimento

Representantes dos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Goiás e do Distrito Federal a partir de agora passam trabalhar juntos em prol do desenvolvimento da região, por meio do Fórum dos Governadores do Brasil Central, criado na última sexta (3), em Goiânia. A decisão  foi tomada durante reunião que contou com a presença do governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PDT), e dos governadores Marconi Perillo (Goiás), Reinaldo Azambuja (Mato Grosso do Sul), Marcelo Miranda (Tocantins), o vice-governador do Distrito Federal, Renato Santana e do ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Mangabeira Unger.

 

Na oportunidade, os chefes do Executivo estadual decidiram criar uma entidade para fomentar o desenvolvimento. Inicialmente, a ideia é criar uma Agência Interestadual do Brasil Central, mas a formatação desta entidade será debatida nas próximas reuniões.

 

Para Taques,  os estados do Centro-Oeste e o Tocantins devem se unir para ganhar forças. O pedetista lembrou que as Constituições de 1967 e 1969 concentram o poder na União, tendência que foi seguida pela atual Carta Magna. Então, para que os estados tenham força é necessário formar blocos. “Aqui nós estamos dando um passo para uma nova forma de cooperação. Os estados membros devem cooperar em todas as áreas”, defendeu. E complementou, "Os estados membros precisam ser respeitados pelo governo federal".

 

Além disso, Taques também questionou os outros governadores sobre a ação da União de realizar um ajuste fiscal sem levar em conta a opinião dos governadores. “Isso é um absurdo, não existe essa possibilidade em outras federações constitucionais”, afirmou.

O governador ressalta ainda que o governo federal não trabalha o planejamento junto aos governos estaduais e os municípios. Destaca que os estados do Centro-Oeste e o Tocantins merecem uma nova visão porque são os principais responsáveis pelo superávit da balança comercial.

 

“Se for somar o Produto Interno Bruto (PIB) da agricultura desses estados nós vamos ver que são os responsáveis pelo superávit da balança comercial no Brasil. O Brasil exportou em 2013, 100 bilhões de doláres do agronegócio, São Paulo foi responsável por   20 bilhões e Mato Grosso por 16 bilhões”, argumentou Taques.

 

As reuniões entre os representantes estaduais serão realizadas em capitais alternadas. A próxima será em Cuiabá, no dia 07 de agosto. O Fórum Brasil Central irá orientar e financiar as políticas de desenvolvimento do Centro-Oeste e Tocantins. Além disso, os estados se comprometeram a trabalhar para dar força e rumo à Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), com foco na diminuição da desigualdade econômico-social.

 

Novo Modelo de Desenvolvimento

Para o ministro Mangabeira Unger, o Brasil Central pode ser a vanguarda do novo modelo de desenvolvimento. Para ele, três eixos devem nortear a atuação conjunta dos governadores: instrumentos que geram desenvolvimento, modelo de produção e investimento em capacitação.

 

O modelo a ser implantado pelos gestores ainda não foi definido. Entre as possibilidades elencadas, a forma de agência ganhou a simpatia dos gestores.

 

O governador de Goiás, Marconi Perillo, destacou que os recursos para o funcionamento da agência poderiam ser captados por meio da securitização de créditos ativos, venda de patrimônio imobiliário, recursos de depósitos judiciais, por exemplo. 

 

Entretanto, nas próximas reuniões é que serão decididos a forma jurídica e o melhor meio para a capitalização. 


Também participaram da reunião o secretário de Planejamento, Marco Marrafon e o secretário de Assuntos Estratégicos, Gustavo Oliveira. (Com Assessoria)

 

 

Gabriele Schimanoski

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário