06/08/2015 - Aeroporto Marechal Rondon é considerado de novo o pior do país

Uma nova pesquisa, realizada entre os meses de abril e junho, pela Secretaria de Avaliação Civil da Presidência da República (SAC) voltou a apontar o Aeroporto Internacional Marechal Rondon, localizado em Várzea Grande, como o pior do país. 

De acordo com a pesquisa, o terminal obteve média de 3,35 pontos, em um índice que vai de 1 a 5. 

O aeroporto de Salvador (BA) aparece em penúltimo lugar, com 3,66, à frente de Guarulhos, em São Paulo, que obteve 4,04. 

Já o Aeroporto Afonso Pena, em Curitiba (PR),  foi avaliado como o melhor do Brasil, recebendo nota 4,43. 

Em seguida, estão os terminais de Recife (PE) com 4,33, Campinas (SP) com 4,27 e Brasília (DF) com 4,24.

Os usuários ouvidos pela pesquisa nesse segundo trimestre apontaram como os principais problemas do terminal em Várzea Grande a qualidade da internet e do sinal do wi-fi, o valor dos produtos de lanchonetes e restaurantes, a qualidade e a quantidade dos estabelecimentos comerciais - bem como o valor dos produtos comerciais - e o custo do estacionamento.

Também foram mal avaliados o custo do estacionamento e os serviços de conforto acústico e a sala de embarque do aeroporto. 

Histórico ruim

Está é a sexta vez que o Aeroporto Marechal Rondon é considerado o pior do Brasil. 

No 1º trimestre de 2014, o terminal recebeu média de 3,26. No 2º trimestre de 2014, a média foi de 3,28.

Já no 3º trimestre de 2014, a nota atribuída foi de 3,64. No 4° trimestre de 2014, a média voltou a cair, sendo de 3,48. 

No primeiro trimestre de 2015, o Aeroporto Marechal Rondon também foi considerado o pior do país, com nota de 3,44 pontos. 

Pesquisa

Divulgada a cada trimestre, a pesquisa da Secretaria de Aviação Civil ouviu 12.701 pessoas nos 15 aeroportos avaliados. 

Foram 8.116 entrevistas com passageiros de voos domésticos e 4.585 de voos internacionais. 

O levantamento, que tem margem de erro de 5%, foi encomendado pela secretaria à Praxian – Business & Marketing.

O aeroporto

As obras de reforma e ampliação do Aeroporto Marechal Rondon, orçadas em R$ 83,49 milhões, eram previstas para ser entregues antes da Copa do Mundo de 2014, em junho. 

No entanto, estão paralisadas desde o final do ano passado. 

Segundo a Secretaria de Estado de Cidades (Secid), 72,7% do projeto previsto foram concluídos, tendo o Consórcio Marechal Rondon – formado pelas empresas Engeglobal, Farol Empreendimentos e Multimetal Engenharia recebido pouco mais de R$ 59,5 milhões pelo serviço.

Agora, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) deve assumir o projeto. Não há um prazo para conclusão das obras. 

Depois de pronto, o terminal deverá dobrar sua capacidade atual e poderá receber 5,7 milhões de passageiros por ano, ao contrário dos 2,5 milhões que suporta atualmente. 

O projeto contempla a instalação de pontes de embarque e adequação das vias de serviço da área restrita, além de instalação de novas sinalizações horizontais no pátio de aeronaves. Também estão previstas a adequação e ampliação do acesso viário e expansão do estacionamento de veículos, bem como o novo setor de desembarque de passageiros.

 

 

Thaiza Assunção 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário