06/08/2015 - PSD pode perder três dos quatro deputados estaduais em MT

Dos quatro deputados da bancada do PSD na Assembleia Legislativa, três já afirmaram que deixarão a sigla, caso se confirme a brecha na lei pela qual mandatários poderão mudar de partido sem risco de perder a vaga.

Gilmar Fabris, Pedro Satélite e Janaína Riva garantiram que mudam de sigla, e José Domingos Fraga já afirmou que pretende se manter fiel ao partido.

A filha do ex-deputado José Riva (PSD) foi a primeira a se manifestar no sentido de deixar a legenda. 

A novata no Parlamento recebeu um convite de filiação do presidente regional do PMDB, deputado federal Carlos Bezerra, que ofereceu "posição estratégica" a ela dentro do partido e autoridade para participar na construção dos diretórios municipais, visando às eleições de 2016.

“Eu já decidi que, se houver a janela, vou deixar o PSD. Já conversei com o deputado Carlos Bezerra, já conversei com alguns prefeitos que devem me seguir. Se houver a janela, irei para o PMDB”, afirmou ao MidiaNews.

Segundo a deputada, seu pai tem se mantido afastado das conversas internas da legenda e não se posicionou sobre sua permanecia ou saída.

“Ele preferiu não participar dessas conversas. Mas, lógico, ele não quer que eu fique em um partido que esteja enfraquecido, fragilizado”, disse.

Acompanhando Taques

Já o deputado Pedro Satélite afirmou que recebeu convite do vice-governador do Estado, Carlos Fávaro (PP), para se juntar ao projeto de recriação do Partido Liberal em Mato Grosso (PL).

No entanto, o parlamentar irá esperar a escolha da nova legenda do governador Pedro Taques (PDT).

“Eu recebi o convite para continuar no partido. Mas tenho conversado com o governador. Vou aguardar a decisão dele e, provavelmente, devo acompanhá-lo”, afirmou.

“Eu estou desconfortável no PSD, desde as eleições. São momentos da vida. Temos lideranças que já estiveram no auge no PSD, hoje estão com dificuldades, mas amanhã poderão voltar ao auge. Então, a política é assim. Mas temos que manter a postura”, disse.

Imposição

Para o deputado Gilmar Fabris, o maior descontentamento dentro do PSD está na interferência feita pela executiva nacional.

No entanto, ele aguarda uma definição de Brasília sobre a ‘janela’ de 30 dias para anunciar o nome da sigla a qual deve se filiar.

“A minha intenção é sair do partido. Mas isso depende da decisão de Brasília. Já recebi convites de outros partidos. Mas não adianta falar de algo que você não pode fazer”, afirmou.

Sem mudança

Até o momento, somente José Domingos Fraga tem afirmado que se mantém no PSD.

Seu irmão, o presidente provisório do PSD, Neurilan Fraga, tem liderado as ações para não deixar que os 36 prefeitos que pertencem ao partido sejam “assediados” por outras agremiações.

Neurilan Fraga - que é prefeito de Nortelândia (253 km a Médio-Norte de Cuiabá) - já começou, inclusive, a percorrer alguns municípios do Estado, para conversar com aqueles que estavam descontentes e tentar fazê-los declinarem da ideia de deixar a agremiação. 

O prefeito confirmou a vinda do ministro das Cidades, Gilberto Kassab, a Mato Grosso para discutir o futuro da legenda no Estado.

 

 

Douglas Trielli 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário