06/10/2016 - Greve dos bancários completa 31 dias; mais de 50% das agências estão fechadas

A greve dos bancários completa hoje (6) 31 dias e já se iguala ao período mais longo de paralisação nacional ocorrida em 2004, segundo o Sindicado dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, quando houve a primeira campanha nacional unificada entre funcionários de bancos públicos e privados. A segunda greve mais longa da categoria foi em 2013, totalizando 24 dias.

Segundo a Confederação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), 13.104 agências e 44 centros administrativos estavam com as atividades paralisadas até ontem (4). “O número representa 55% do total de agências de todo o Brasil”, diz nota da entidade.

Os trabalhadores reivindicam reajuste de 14,78%, sendo 5% de aumento real, considerando inflação de 9,31%; participação nos lucros e resultados (PLR) de três salários acrescidos de R$ 8.317,90; piso no valor do salário-mínimo do Dieese (R$ 3.940,24), e vales alimentação, refeição, e auxílio-creche no valor do salário-mínimo nacional (R$ 880). Também é pedido décimo-quarto salário, fim das metas abusivas e do assédio moral.

Atualmente, os bancários recebem piso de R$ 1.976,10 (R$ 2.669,45 no caso dos funcionários que trabalham no caixa ou tesouraria). A regra básica da participação nos lucros e resultados é 90% do salário acrescido de R$ 2.021,79 e parcela adicional de 2,2% do lucro líquido dividido linearmente entre os trabalhadores, podendo chegar a até R$ 4. 043,58. O auxílio-refeição é de R$ 29,64 por dia.
A proposta mais recente apresentada pela Federação Nacional de Bancos (Fenaban) foi no dia 28 de setembro, quando foi apresentado reajuste de 7% e um abono de R$ 3,5 mil, com aumento real de 0,5% para 2017.

A última assembleia realizada pela categoria em São Paulo, na segunda-feira (3), decidiu pela continuação da greve.

“Os banqueiros ganharam R$ 30 bilhões de lucro líquido no primeiro semestre, é a maior taxa de juros do mundo, cheque especial é 350% de juros anual, cartão de crédito é 470% de juros anual, e eles se recusam a dar um reajuste para a categoria que sequer repõe a inflação”, disse Juvandia Moreira, presidente do sindicato de São Paulo, que afirmou que “os bancos não estão em crise”.

“Se eles não tivessem dinheiro, se o setor estivesse em crise, tudo bem, nós concordaríamos em fazer uma negociação diferente, mas não está em crise o setor. Eles têm, no mínimo, que aumentar esse reajuste, o que eles não estão fazendo”, disse. Segundo a presidente, os bancos cortaram mais de 8 mil postos de trabalho no primeiro semestre e ass demissões ocorreram sem nenhuma necessidade.

A expectativa, de acordo com Juvandia, é que os bancos chamem para a negociação e mudem as propostas. 

Roberto von der Osten, presidente da Contraf-CUT,  disse que “em algumas regiões os bancos colocaram a polícia para pressionar e obrigar os bancários a trabalhar. Tem bancos produzindo documentos com ameaças e informações falsas. Isso é mentira e a categoria está ciente”.

A Fenaban, em nota, informou que apresentou três propostas aos representantes dos sindicatos. “A mais recente foi apresentada na última quarta-feira (28), na qual a entidade ofereceu aumento no abono para R$ 3.500,00, mais 7% de reajuste salarial, extensivo aos benefícios. Propôs ainda que a Convenção tenha duração de dois anos, com a garantia, para 2017, de reajuste pela inflação acumulada e mais 0,5% de aumento real”.

Segundo a federação, o total apresentado na proposta para 2016 “garante aumento real para os rendimentos da grande maioria dos bancários e é apresentada como uma fórmula de transição, de um período de inflação alta para patamares bem mais baixos”. A Fenaban disse ainda não há data para a próxima reunião e que não faz levantamento das agências paradas.

Atendimentos

Apesar de os serviços de internet banking e caixas eletrônicos funcionarem durante a greve dos bancários, alguns atendimentos ficam mais complicados como sacar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ou receber benefício social na Caixa Econômica Federal, sem o Cartão Cidadão. Mesmo com a paralisação dos bancos, as datas de vencimento de contas não são alteradas. Em caso de atrasos, o cliente será e pode até mesmo ter seu nome enviado aos serviços de proteção ao crédito, dependendo do atraso.

Para fazer o pagamento de contas, os bancos orientam que os usuários procurem caixas eletrônicos, lotéricas e correspondentes bancários. Nesses locais, é possível fazer normalmente o pagamento de contas de água, luz, tributos, boletos de cobrança, prestação de habitação e saques de conta-corrente.

De acordo com a Caixa, é possível fazer saques de até R$ 1,5 mil do FGTS em lotéricas, correspondentes do Caixa Aqui, com o Cartão Cidadão. Pelos terminais eletrônicos (caixas automáticos e salas de autoatendimento), é possível fazer os saques com o cartão magnético. No caso de benefícios sociais, pode ser feito o saque de todo o valor disponível com o Cartão Cidadão ou o cartão do benefício. O mesmo procedimento se aplica à retirada da aposentadoria.

Na internet ou com ajuda do celular, clientes da Caixa Econômica Federal podem realizar transações bancárias, como transferência entre contas, TED e DOC, pagamento de faturas, de boletos, de prestação habitacional e de contas de água, luz, telefone e tributos, além de ser possível a contratação de CDC, Cheque Especial, Cartão de Crédito, título de capitalização para clientes pessoa física com limites aprovados.

Clientes pessoas jurídicas da Caixa podem contratar empréstimos para capital de giro por meio da internet, desde que tenham limites pré aprovados. Nesse canal, também podem fazer pagamentos, transferências, DOC, TED e pagamento de faturas, antecipar recebíveis, pagar folha de pagamentos, entre outros.

Brasília

Em Brasília, clientes reclamam da falta de dinheiro em alguns caixas eletrônicos, das filas e da ausência de funcionário para resolver problemas, como falta de envelope para fazer depósitos. 

A autônoma Ivonete Lemos contou que “a rotina mudou só para depósito no Banco do Brasil, porque nós temos que buscar a conveniência e que nem sempre está disponível”. Ivonete não utiliza apenas o Banco do Brasil para resolver seus problemas. Para se livrar das filas formadas nos pontos de conveniência, ela usa as casas lotéricas.

Com as lotéricas cheias, outros clientes optaram pelos aplicativos que os bancos oferecem ou pelas plataformas na internet. O motorista Vitor dos Santos utiliza esses meios para pagar as contas vencidas. “Eu uso o bankline ou o internet banking, isso me ajuda bastante”. 

Já o jornalista José Carlos Gonçalves apoia a greve dos bancários. “Um mês de greve já, os trabalhadores merecem revindicar, eles têm o direito de reivindicar”.

 

 



* Colaborou Julia Rocha

Edição: Carolina Pimentel

Tópico: 06/10/2016 -

Data: 07/10/2016

De: Eu x bancários (banqueiros manobristas)

Assunto: À serviço dos patrões!

Quem mais ganha com essas grevinhas pra inglês ver?
Isso... Os banqueiros. Os patrões deles que com certeza foi quem os incitou a esta greve lesa-pátria.
Nem precisa ser muito inteligente e nem pensar muito para perceber o quanto eles ganharam com nosso dinheiro preso lá dentro (caso de polícia, no meu entender, se esse país fosse um tiquinho sério). Só com o lucros desse tempo todo já podem pagar o que pedem os empregados e ainda saem com muito dinheiro no bolso.
Acorda povo! Não é só PT que f0d3 o país não....
E tenho dito.

Data: 06/10/2016

De: Luana

Assunto: estou bolada

Esses filhos da puta quanto mais receber que mais.
tao fudendo todos
esses filhos da puta
pra atender a gente sao super ignorantes
esses bostas

Data: 06/10/2016

De: jaime

Assunto: greve dos bancos

alei dos 30 porcento nao esta sem utilizada cada banco teria que dipor algum funcionario para ajudar os clientes principalmente em situaçoes onde se faz nescessario ,isso é uma vergonha e o governo é conivente com esse absurdo

Data: 06/10/2016

De: Marcia

Assunto: muitos estão indignados

meu pagamento é como ordem do exterior e recebo no caixa do banco do Brasil e já tem um mês que não posso retirar o dinheiro, não tenho dinheiro pra nada nem pra fazer compras, minhas contas estão vencidas e tenho que pagar com juros...etc. e os bancarios querendo todo esse aumento enquanto eu e muitos estão sendo prejudicados...é um absurdo

Data: 06/10/2016

De: DIOGO

Assunto: INDIGNAÇÃO

ABRAM O OLHO ! CADA VEZ MAIS AS PESSOAS ESTÃO BAIXANDO OS APLICATIVOS PARA SAIR DO TRANSTORNO DA GREVE E ISSO MOSTRA QUE VCS BANCARIOS NAO SAO TAO NECESSARIOS ! CUIDADO COM O FACÃO EM ALGUNS QUANDO VOLTAREM . FICA A DICA

Data: 06/10/2016

De: paulo

Assunto: e de cair o anus da bunda

venho atraves desta deixar minha profunda indignação da greve dos bancos, se estao achando que cobrar metas nas agencias e ruim, saiam, vao trabalhar de caixa de mercado que dai nao pede meda pra vc. me respondam qual empresa nao cobra produtividade do seu funcionario, so na cabeça dos sindicatos isso existe, pra mim em epoca de crise todos tem que fazer sua parte se a categoria privada nao esta recebendo almento, porque o publico vai ter.
pra mim o serviço publico neste pais nao esta vivendo na terra, vcs estao em um mundo paralelo, uma matrix. tudo pra vcs e diferente, a aposentadoria, as pensoes, o atendimento na saude, ate existe hospital e posto de saude pra funcionario publico.
e um cropolito

Data: 06/10/2016

De: Magda renata p souza

Assunto: Conts bloqueada

Tenho uma pendência no cartão de crédito e só posso sacar na boca do caixa, meu salário todo está dentro da conta e não posso pegar.

Me sinto lesada pelo banco e ninguém me ajuda, estou sem dinheiro para as necessidades básicas.

Data: 06/10/2016

De: Marcia

Assunto: Re:Conts bloqueada

também estou sendo lesada, só recebo no caixa no banco do Brasil e minhas contas vencidas tenho que pagar com juros, mas pior ainda é que não tenho dinheiro para fazer compras.

Data: 06/10/2016

De: Mário

Assunto: Reprovação de greve.

Acho um absurdo, todo ano esses bancários em greve e o povo pagando essa conta, além de tudo os mesmo que reivindicam melhores salários, só sabem nos destratar e fazer atendimento com todo a má vontade, isso vai de atendentes até gerentes, são arrogantes, desaforados, muitas vezes atendem com uma morosidade e ainda batendo papo o que faz o tempo de espera de até 3 horas dentro da agencia, em outros casos enganam a justiça fazendo duas filas para atendimento que gera longas esperas, quando nos atendem enviam logo pro caixa que paga até em 30 minutos, porém já estávamos na fila mais de 2 horas, isso é feito para fugir da lei e da justiça, um cumulo . Agora, a pouco tempo no caso da caixa econômica eles tem prendido FGTS, inventando todo tipo de desculpas para não pagar, até respondem as consultas erradas, em casos respondem dizendo que não há valores. E vou além, a abordagem para entrar nos bancos é um completo desrespeito, só faltam nos fazer tirar as roupas e nos revista, ficamos totalmente irritados e constrangidos com tanto distratos, e por esse motivo acho que esse excessos de aumento não é merecido, primeiro eles tem que aprender a respeitar e tratar seus verdadeiros patrões o povo, que com nosso dinheiro é que pagam essa gente, sem coração e respeito ao próximo.

Novo comentário