06/12/2012 - João Arcanjo já ‘deveria’ estar solto; defesa acredita em liberdade ainda este ano

 

Considerado ex-chefe do crime organizado e arquivo vivo do banditismo moderno mato-grossense, o ex-policial João Arcanjo Ribeiro, preso desde abril de 2003 sob acusação de comandar o esquema do jogo do bicho no estado e arquitetar um poder paralelo, já “deveria” estar solto, pelo fato de ele ter sido condenado “apenas” pelos crimes contra o sistema financeiro, de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha.

As bases da organização criminosa capitaneada pelo “comendador” começaram a ruir a partir da Operação Arca de Noé, que completa 10 anos hoje. Pesa sobre Arcanjo, a pecha de pária, além de ser um arquivo vivo, que sabe muito sobre os esquemas de corrupção que permeavam os três poderes em nível estadual. Em termos jurídicos, ele ‘sofre’ a presunção da culpa.

Destaque Policial