07/01/2012 - Dez municípios estão inseridos no destino turístico

 

Com o objetivo de incentivar o visitante a conhecer os atrativos localizados no entorno das cidades-sede dos jogos da Copa, aumentando o fluxo turístico, a distribuição de renda e a geração de emprego, o Ministério do Turismo (MTur) definiu os produtos e destinos turísticos próximos às 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. 
 
Em Mato Grosso foram definidos Cuiabá, Cáceres, Poconé, Barão de Melgaço, Chapada dos Guimarães, Campo Verde, Jaciara, Juscimeira, Nobres e Alta Floresta. Os municípios selecionados terão preferência na destinação de recursos e no destaque da promoção oficial. Ao todo serão 88 produtos e 184 destinos brasileiros em municípios distantes até três horas (via terrestre) ou até duas horas (via aérea) dos palcos do Mundial. 
 
Para a secretária de Desenvolvimento do Turismo de Mato Grosso, Teté Bezerra, a missão do Estado é transformar os atrativos naturais em produtos turísticos. Ela cita o município de Nobres (146 km a Médio-Norte de Cuiabá) como exemplo, que polariza uma região onde foram constatados 57 atrativos naturais que podem ser transformados em produtos, por meio do trabalho de consultoria de Formatação do Produto Turístico. 
 
A segunda missão é a questão da regularização fundiária e as licenças ambientais da comunidade de Bom Jardim, distrito de Nobres. O trabalho foi apresentado às entidades representativas do mercado para agirem como multiplicadores da iniciativa. Um total de 600 mil estrangeiros e três milhões de brasileiros deverão circular pelo Brasil no mês da Copa. Pela estimativa oficial, o País vai totalizar 7,8 milhões de viagens domésticas no período. 
 
"Nossos estudos indicam que cada estrangeiro realizará uma média de três viagens pelo Brasil durante o mês da Copa. Traçamos uma estratégia para intensificar o fluxo de deslocamentos, beneficiando o maior número de municípios e distribuindo melhor a geração de emprego e renda", diz o ministro do Turismo, Gastão Vieira. O estudo começou há três meses, quando técnicos do MTur e do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) promoveram uma oficina de trabalho para definir a matriz de seleção dos destinos e produtos. 
 
Dos 88 produtos selecionados, 72 localizam-se num raio de 300 quilômetros das cidades-sede. Além do segmento sol e praia, a lista engloba ecoturismo, aventura, esporte, cultura, negócios, eventos e gastronomia. Entre campanhas e convênios, o ministério investiu R$ 151 milhões em 2011. "Vamos ampliar o ganho do Brasil com o megaevento de 2014. Queremos receber bem os turistas, apresentar nossos atrativos turísticos e incentivá-los a voltar ao País o mais brevemente possível", revelou Gastão Vieira. 
 
O número a ser registrado em 2012 deverá se situar muito próximo dos R$ 151 milhões investidos no ano passado. Para a promoção internacional do turismo brasileiro, a expectativa é a de que a Embratur tenha R$ 139 milhões, mesmo valor de 2011. 
 
As informações são da assessoria
 
 
Da Redação - PV

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário