07/03/2013 - Polícia Militar prende advogados da UFMT e Adufmat

Os advogados Ioni Ferreira Castro e Marco Antônio, respectivamente da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (Adufmat) e da Universidade Federal de Mato Groso (UFMT) foram detidos na tarde de hoje pela Polícia Militar após insistirem em acompanhar os estudantes universitários presos na tarde de hoje durante a confecção do Boletim de Ocorrência.

A confusão está acontecendo no Cisc Planalto. Um membro da Ordem dos Advogados do Brasl (OAB) está no local tentando fazer a mediação com o advogado. Seis alunos da universidade foram presos na tarde de hoje durante manifestação para evitar o despejo de 50 alunos das Casas do Estudante Universitário (CEU).


Os presidentes da Comissão de Direito e Processo Penal e do Tribunal de Defesa de Prerrogativas dos advogados da OAB-MT, Waldir Caldas, e Luiz da Penha, respectivamente, e vários outros membros de comissões da Ordem dos Advogados estiveram reunidos com um delegado da Polícia Civil e com um capitão da PM para tentar resolver a situação dos dois advogados detidos, mas não obtiveram sucesso.

Tanto Ioni Ferreira quanto Marco Antonio estão na sala da Polícia Militar onde é confeccionado os boletins de ocorrência e seus celulares e documentos são mantidos apreendidos. A PM deve encaminhá-los ao delegado sob a acusação de desacato a autoridade.

De acordo com Waldir Caldas, a PM está cerceando o advogado de suas prerrogativas, problema recorrente em Mato Grosso. “Costumeiramente a Polícia Militar tem impedido os advogados o acesso a sala na qual ela registra os boletins de ocorrência de suas ações. A OAB entende que não existe lugar o qual o advogado não possa exercer livremente exercer sua atividade profissional”, disse o advogado.



A Universidade Federal de Mato Grosso emitiu nota sobre o incidente, confira abaixo:

A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) lamenta o ato de violência que resultou no ferimento e na detenção de estudantes que faziam manifestação na tarde desta quarta-feira (06), na avenida Fernando Correa, próxima ao Campus, em Cuiabá. Na ação da polícia, parar a manifestação, seis alunos foram detidos e pelo menos seis ficaram feridos. A pró-reitora de Assistência Estudantil da UFMT, assim que acionada, dirigiu-se, de imediato, até o local e interveio junto ao comando da operação em defesa dos estudantes. Em seguida deslocou-se até a Reitoria, onde um grupo de manifestantes se encontrava reunido com o vice-reitor João Carlos de Souza Maia. “A manifestação começou dentro do campus, pacificamente”, observa ele. “A prioridade agora é verificar as condições de saúde e providenciar para que sejam liberados”, frisou. Ao mesmo tempo uma equipe da UFMT acompanhava os feridos que foram levados ao Pronto Socorro da Capital, e o prefeito do Campus, Paulino Simão de Barros dirigiu-se ao Cisc do Planalto, para onde os estudantes foram conduzidos. A pró-reitora de Ensino de Graduação, Irene Melo, e a de Assistência Estudantil, Myrian Serra, se deslocaram também para lá juntamente com representantes dos acadêmicos. Nesse momento, também o vice-reitor se encontra no local acompanhando diretamente o boletim de ocorrência junto com professores e dirigentes da Faculdade de Direito que acompanharão os encaminhamentos policiais em defesa dos estudantes.

 

Da Reportagem Local - Jardel P. Arruda/ Da Redação - Lucas Bólico

COMENTÁRIOS

Data: 08/03/2013

De: MARCOS ANTONIO

Assunto: ADVOGADOS

ESSES CARAS PENSAM QUE ESTÃO ACIMA DA LEI POR ISSO FICAM COM ESSA BADERNAGEM NAS RUAS BOM TRABALHO DESTES PMS.

Novo comentário