07/05/2013 - Teté pede exoneração, volta à AL e Daltinho perde posto de deputado

 

O suplente Adalto de Freitas, o Daltinho (PMDB), está com “um pé” fora da Assembleia. Hoje à tarde, por volta das 14h, a assessoria da atual secretária estadual de Desenvolvimento do Turismo Teté Bezerra (PMDB) protocola o pedido para reassumir a vaga de deputada. A exoneração do secretariado, já aceita pelo governador Silval Barbosa (PMDB), será publicada no Diário Oficial que circulará nesta quarta (8). No cargo desde 2010, ela será substituída pelo secretário-adjunto Jairo Pradela.
  A exoneração de Teté e consequente retorno à Assembleia faz parte da série de retaliações que o PMDB prepara . Segundo apurou este blog, o suplente ainda enfrentará processo de expulsão por infidelidade partidária. A cúpula do PMDB tentou evitar que a exoneração vazasse para fazer com que Daltinho fosse pego de surpresa pela perda da vaga de deputado. O discurso dos peemedebistas, no entanto, dava a senha da articulação em curso.
  O líder do governo na Assembleia Romoaldo Júnior (PMDB) informou ao RDNews que liderava pessoalmente o movimento pelo retorno de Teté à Assembleia. Além disso, afirmou que os membros da bancada peemedebista já não consideram Daltinho como companheiro. “Não existe mais espaço para esse cara no partido. Tentei contornar a situação por diversas vezes, mas agora defendo a expulsão”, disparou.
  Teté, por sua, afirmou que cabe a Comissão de Ética do PMDB avaliar postura de Daltinho e deliberar sobre a possível expulsão. A peemedebista admitiu que o partido é unânime em considerar a situação insustentável e reivindica sua volta ao Legislativo. “Estamos avaliando a possibilidade”, desconversou, sem revelar que o desfecho da história já estava definido pelos dirigentes.
  Avesso às polêmicas, o próprio Silval entrou na briga com o suplente. De acordo com o governador, Daltinho vem de uma série de derrotas em Barra do Garças, onde perdeu a prefeitura e quer atribuir ao partido a culpa pelos fracassos. “Até antes da última eleição, a posição dele era outra. Ele assumiu como suplente e veio com posicionamento equivocado, sem discutir”, lamentou.
  A briga entre Daltinho e o PMDB começou por questões locais em Barra do Garças e ganhou contornos mais graves a partir de denúncia de supostos atos ilícitos no Palácio Paiaguás. A “gota d´água” foi nessa segunda (6), quando ele afirmou que Mato Grosso está submetido à incompetência, desmandos e fortes indícios de corrupção conforme noticiou o RDNews

COMENTÁRIOS

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário