07/06/2011 - 08h:00 Latrocida é condenado a 26 anos de reclusao em Paranatinga

 O juiz da Comarca de Paranatinga (373km a sul de Cuiabá), Hugo José Freitas da Silva, condenou a 26 anos de reclusão, em regime inicialmente fechado, o latrocida Josmar Marques Dias, réu confesso dos assassinatos de Marcelo Afonso Santiago e do filho dele, Salustiano Henrique Schneider Santiago, de apenas 9 anos. O crime ocorreu em 19 de dezembro de 2007, em Paranatinga, e chocou a população local. O motivo do crime foi o roubo de armas, uma moto, um cheque no valor de R$ 600,00 e de R$ 43,00 em dinheiro, utilizados para abastecer o veículo (Autos nº 003/2008).

 
Conforme denúncia do Ministério Público Estadual, Josmar Dias trabalhava na fazenda da família Santiago e sabia que o proprietário, Marcelo Afonso, possuía armas em casa. Com o intuito de roubá-las para vender, Josmar aproveitou que o patrão havia saído cedo para ir ao curral, entrou no quarto e roubou a arma. Quando saía da casa, com uma carabina na mão, percebeu que o patrão retornava. Com medo de a vítima descobrir o roubo, Josmar esperou que ele entrasse na casa e, da janela da cozinha, atirou duas vezes, sendo que um disparo acertou Marcelo Afonso Santiago.
 
Ao ouvir o barulho do tiro, o filho da vítima, Salustiano Henrique Schneider Santiago, de 9 anos, foi até a cozinha e encontrou o pai caído. O menino falou para Josmar, que estava ao lado do corpo, que iria até o vizinho buscar ajuda. Temendo que o menino realmente chamasse alguém, Josmar Dias mirou na cabeça dele e atirou. Depois de matar as vítimas, o réu retornou ao quarto, pegou o restante das armas, um cheque de R$ 600,00, e R$ 43,00 em dinheiro que estavam com a vítima, e saiu levando uma motocicleta, que estava apenas sendo guardada na chácara.
 
Ao ser preso em flagrante pela Polícia Militar no dia do crime, Josmar Dias contou que havia rasgado o cheque e que gastou os R$ 43,00 para abastecer a moto. Segundo o magistrado, além de ter causado forte comoção social, o crime transtornou a vida da família. Mãe e filha sobreviveram à tragédia.
  
 
Coordenadoria de Comunicação do TJMT
 
 

Paranatinga News/O Repórter do Araguaia