07/07/2012 - Justiça busca auxílio para localizar condenado

 

O Tribunal do Júri da Comarca de Cáceres (225km a oeste de Cuiabá), sob a presidência da juíza Graciene Pauline Mazeto Corrêa da Costa, com a atuação do promotor de Justiça Samuel Frungilo na acusação e do defensor público João Augusto de Sanctis Garcia na defesa, condenou na terça-feira (3 de julho) o réu Eronildes Silva de Arruda a 26 anos e três meses de reclusão pelo cometimento do crime de homicídio triplamente qualificado, estupro e ocultação de cadáver praticado contra sua sobrinha, Rosa de Aguiar Ribeiro.

 

O crime ocorreu em outubro de 2000. O réu chegou a ser preso, mas fugiu da cadeia de Cáceres no ano de 2001 e encontra-se foragido até a presente data. 

Consta da denúncia do Ministério Público Estadual que no dia 6 de outubro de 2000, Eronildes foi até a casa da vítima e se dispôs a levá-la a assistir o desfile alusivo ao aniversário da cidade. No caminho até o local do evento, o réu parou a bicicleta em um mato e obrigou a sobrinha a manter relação sexual. 
 
A Justiça Estadual necessita da ajuda da sociedade civil no intuito de localizar o seu paradeiro, para que assim possa iniciar o cumprimento da pena a qual foi condenado. Quem obtiver qualquer informação poderá repassar à Promotoria de Justiça de Cáceres, que garante o sigilo sobre o informante. 
 
O telefone para contato é (65) 3222-3559 – Primeira Promotoria Criminal. 
 
Redação 24 Horas News

Xomentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário