07/08/2015 - LGBTs farão ato contra homofobia e violência a religiosos

07/08/2015 - LGBTs farão ato contra homofobia e violência a religiosos

A 13ª Parada da Diversidade Sexual de Cuiabá, marcada para o dia 4 de setembro, com concentração às 14h na Praça Ipiranga, dirá um “não” às provocações a grupos religiosos e sociais. 

De acordo com o organizador do evento, Clóvis Arantes, o objetivo da manifestação é aglutinar toda sociedade cuiabana e mato-grossense, independentemente da orientação sexual, a um movimento de respeito, cidadania, paz e alegria. 

“Nós não aceitamos e não vamos fazer provocações. Nosso objetivo é reunir todas as pessoas, desde as crianças até os adultos, numa luta pela vida e amor”, afirmou. 

O clima de união, conforme Arantes, é a força motriz para tornar ainda mais vivo o objetivo de defesa dos direitos das pessoas Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros (LGBT), em Cuiabá e no Estado de Mato Grosso.

“Nossa busca é por nos reafirmarmos como cidadãos plenos, sem distinção. Ter assegurado os nossos direitos e viver com dignidade em sociedade”, afirmou. 

Ele relatou, ainda, que essa união visa à conscientização da sociedade quanto ao índice de crimes contra as pessoas LGBTs no Estado. 

De acordo com Clóvis Arantes, Mato Grosso é um dos Estados mais homofóbicos do Brasil.

No ano passado, conforme ele, foram registrados 17 assassinatos a pessoas LGBTs em Mato Grosso. 

“A 13ª Parada também será uma luta pelos direitos dos LGBTs e, principalmente, pela criminalização da homofobia, pois os criminosos não podem se sentir impune com esses crimes”, disse. 

Ainda de acordo com Arantes, o movimento já conseguiu alguns avanços, mas ainda é preciso mais. 

“O Congresso Nacional nunca aprovou nenhuma lei em apoio à comunidade LGBT, mas tem aumentado o apoio do Judiciário e da mídia em geral”, afirmou. 

Seminário

Nesta sexta-feira (6), a partir das 8h, será realizado, no Centro Cultural da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), o “Seminário da 13ª Parada da Diversidade de Cuiabá”. 

O evento pretende propiciar o debate crítico, pautado no respeito, sobre as questões que envolvem a população LGBT no país. 

A programação do seminário é composta por quatro mesas, que contarão com a presença de importantes representantes da voz do movimento nacional. 

Entre elas, está a professora e pesquisadora sobre gênero e sexualidade da Universidade Federal do Tocantins (UFT), Bruna Irineu, o presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbiscas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), Carlos Magno, e a presidente da Associação de Travestis e Transexuais (Antra), Cris Stefanny. 

Programação

Mesa 1 – As questões de gênero na formação humana (8 às 10h)
Mesa 2 – Criminalização da homofobia/lesbo e trasnfobia – Marcos legais para romper com o discurso imoral (10h30 às 12h30)
Mesa 3 – Violência contra travestis – Promoção e proteção (14h às 16h)
Mesa 4 – Políticas públicas de Saúde – Novas tecnologias e prevenção (16h30 às 18h30)

 

 

Thaiza Assunção 
Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário