07/10/2015 - Canarana é o maior produtor nacional de gergelim

“Canarana é hoje o principal produtor de gergelim do Brasil. Se somar todos os outros municípios produtores do Brasil, não dá a produção de Canarana”, cravou Vinícius de Andrade, da Gebras Alimentos

Canarana é o maior produtor nacional de gergelim. Na safra que acabou de ser colhida, foram cultivados no município mais de 20 mil hectares com a cultura, sendo atualmente a terceira maior cultura em área plantada, atrás somente da soja e do milho. Com a abertura de exportações, a expectativa é no aumento da área para a próxima safra. O J. O Pioneiro entrevistou o empresário Vinícius Jaime de Andrade, que trabalha com seu pai, Valder de Andrade, no ramo de compra de gergelim dos produtores locais há oito anos. Neste ano eles abriram uma empresa em Canarana, a Gebras Alimentos, localizada no Setor Industrial, onde beneficiam o produto para a venda.

Em Canarana a média de produtividade tem sido de 500 kg de gergelim por hectare, o que deu uma produção de aproximadamente 10 mil toneladas. “Canarana é hoje o principal produtor de gergelim do Brasil. Se somar todos os outros municípios produtores do Brasil, não dá a produção de Canarana”, cravou Vinícius. Porém, a produção varia de produtor para produtor, que em Canarana ficou entre 200 e 1.000 kg por hectare, o que ao final dá uma média de 500, pois a colheita é feita de forma mecanizada, o que gera muitas perdas. Em outras regiões do Brasil, onde a colheita não é mecanizada, a média salta para 800 kg.

Somente a produção de Canarana é o suficiente para atender a demanda nacional. Como também há produção da cultura em menor escala em outros estados, atualmente a maior parte da produção de Canarana vai para o mercado externo, ficando o mercado interno sendo abastecido por parte da produção local e pela produção que vem de outras regiões. A empresa Gebras comprou cerca da metade da produção de Canarana e mais de 90% encaminhou para a exportação, atendendo mercados como Japão, Israel e México.

O gergelim é uma cultura de inverno e em Canarana é plantada como safrinha, depois da colheita da soja, entre final de fevereiro e final de março, com a colheita sendo realizada entre final de julho e final de agosto. A sua grande vantagem é que a cultura precisa menos chuva para se desenvolver, em torno de 350 mm, minimizando os riscos na região, que a partir de abril entra no período da seca. Além disso, na maioria dos casos não se usa fertilizantes e nem defensivos, tendo como gasto somente o plantio e a colheita, realizados com maquinário que o produtor já tem na fazenda.

O preço para o produtor local neste ano tem variado entre R$ 1,50 e R$ 2,30 o quilo, dependendo da qualidade do grão. Numa conta otimista, com o produtor colhendo 1.000 kg de gergelim por hectare e vendendo a R$ 2,30 o kg, daria uma renda superior a dois mil reais por hectare. Conforme Vinícius, o objetivo da empresa é garantir um preço mínimo e a compra total da produção, questões até então vulneráveis. “Com os produtores que nós temos parceria, a gente arruma a semente, visita as lavouras para dar assistência técnica e fazemos o compromisso de comprar toda a produção... e vamos começar a fazer contratos a partir desse ano para garantir preço mínimo”, explicou.

Como o mercado externo está abrindo portas para o comércio, a empresa quer dobrar a sua compra e beneficiamento de gergelim de cinco neste ano para 10 toneladas em 2.016, o que abre espaço para aumento da área plantada no município. Com isso, a cultura do gergelim ameaça tirar o segundo lugar do milho em área plantada em Canarana. “É a nossa expectativa, trabalhar bem para abrir mercados e aumentar a produção local”, falou.

O gergelim é utilizado para a produção de uma pasta, é usado na produção de pães, também dele é extraído o óleo, além da produção de leite de gergelim e o seu consumo in natura principalmente em restaurantes orientais. (Da Redação).

 

 

Jornal O pioneiro

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário