07/11/2012 - MARÃIWATSÉDÉ – A FRAUDE DA FUNAI, A OMISSÃO DO GOVERNO DILMA E A IMINÊNCIA DE UM DERRAMAMENTO DE SANGUE

 

Segundo  informações  obtidas  com  os  representantes  dos  proprietários  das  áreas  onde  ocorreu  criação  da  Reserva Xavante  (MARÃIWATSÉDÉ),  na  antiga  Fazenda  Suiá  Missú  (Posto  da  Mata), decretada  pelo  Presidente  Fernando  Henrique  Cardoso,    esta  é  marcada  por  várias  FRAUDES cometidas pela  FUNAI (Governo Federal) e teve início com a “suposta doação” da área pela Eni- Agip, antiga proprietária da Gleba Suiá.

 

VEJA TODA A MATÉRIA ABAIXO COM OS DOCUMENTOS...

Galeria de Fotos: 07/11/2013 - MARÃIWATSÉDÉ – A FRAUDE DA FUNAI, A OMISSÃO DO GOVERNO DILMA E A IMINÊNCIA DE UM DERRAMAMENTO DE SANGUE

Comentários

Data: 20/11/2012

De: Albino Pfeifer Neto

Assunto: Área da Suiá Missu

Vejo que as pessoas não enxergam o que realmente acontece neste caso. Um crime foi cometido, foi feita a adulteração de documentos por servidores públicos e nada está sendo feito!!! A quem interessa? Estas pessoas estão sendo corrompidas por quem? Algo não está cheirando bem!!! Onde está o MPF para averiguar isto. ORDEM E PROGRESSO!!!

Data: 12/11/2012

De: ROGÉRIO

Assunto: REPORTAGEM DA SENADORA

Folha de S. Paulo
>
> A tragédia da Funai
>
>
> Kátia Abreu
>
> Esta é a Funai dos nossos dias: incapaz de interpretar os anseios dos
> índios e garantir-lhes a vida
>
> A morte sempre aflige e, na forma extrema do suicídio, converte-se em
> lamentável tragédia. É impossível deixar de ter compaixão, virtude
> cristã, quando nos defrontamos com um jovem indígena guarani-kaiowá
> demitindo-se da vida.
>
> Essa trágica realidade exige explicações e atitude da Fundação
> Nacional do Índio.
>
> O Estado é o guardião dessas vidas e a lei confere à Funai a missão de
> exercer, em nome da União, "a proteção e a promoção dos direitos dos
> povos indígenas".
>
> O desgosto dos brasileiros que dirigem seu olhar compassivo aos índios
> é que estamos todos diante de uma estrutura anacrônica e incompetente
> que, atualmente, é de pouca serventia àqueles a quem deveria proteger.
> Esta é a Fundação Nacional do Índio dos nossos dias: incapaz de
> interpretar os anseios dos índios e garantir-lhes a vida.
>
> A ineficiência se agiganta porque a Funai acumula competências que
> transitam pelos três Poderes da República. Ela é Executivo, ao
> conduzir os processos de identificação e demarcação de terras; é
> Legislativo, com suas instruções normativas que regulam esses
> processos, e também assume o papel de Judiciário, ao julgar
> administrativamente todas as contestações.
>
> É simplificação irreal e equivocada resumir o drama pelo qual passam
> os 170 índios da etnia guarani-kaiowá a uma simples demanda por terra.
> As carências dos índios, inclusive os que hoje ocupam dois hectares de
> uma fazenda no Mato Grosso do Sul, são muito mais amplas. Falar em
> terra é tirar o foco da realidade e justificar a inoperância do poder
> público.
>
> O índio hoje reclama da falta de assistência médica, de remédio, de
> escola, de meios e instrumentos para tirar o sustento de suas terras.
> Mais chão não dá a ele a dignidade que lhe é subtraída pela falta de
> estrutura sanitária, de capacitação técnica e até mesmo de
> investimentos para o cultivo.
>
> A triste realidade dos dias de hoje é que os índios estão mal
> assistidos e os produtores rurais, desamparados. Os empreendedores do
> setor agropecuário possuem títulos de propriedade regularmente
> concedidos, em obediência às leis que regem nosso país.
>
> A luta para colocar alimento mais barato na mesa do brasileiro não é
> travada por usurpadores e invasores de terras, como querem fazer
> acreditar algumas ONGs nacionais e internacionais e alguns movimentos
> sociais.
>
> As terras indígenas ocupam 12,64% do território nacional. São, ao
> todo, 109,7 milhões de hectares, segundo dados da Funai. Vivem neles
> 517,3 mil indivíduos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e
> Estatística.
>
> Já as terras agrícolas ocupam 39,2% do território nacional, fatia que
> cai para 27,7% sem as áreas de preservação ambiental. Entre
> proprietários, seus familiares e empregados do campo, são 16,5 milhões
> de pessoas.
>
> A menção a esses números não embute nenhuma objeção da CNA à eventual
> ampliação das áreas reservadas aos povos indígenas. Se for da vontade
> do governo e do povo brasileiro dar mais terra ao índio, que o façam.
> Mas não à custa dos que trabalham duro para produzir o alimento que
> chega à mesa de todos nós.
>
> É hora de alardear um fato absurdo que, não tenho dúvida, é
> desconhecido pela maioria dos cidadãos. O que tensiona a relação entre
> índios e fazendeiros, que antes da Constituição de 1988 já ocupavam
> legalmente as terras em que produzem, é a injustiça praticada pelo
> Estado brasileiro.
>
> Quando o governo destina áreas à reforma agrária, indeniza o
> proprietário pela terra e pelas benfeitorias realizadas. Já quando
> subtrai o chão há décadas cultivado pelo produtor, somente as
> benfeitorias lhe são restituídas.
>
> Ocorre aí uma expropriação criminosa de terras produtivas, e o
> fazendeiro, desesperado, tem que abandonar a propriedade com uma mão
> na frente e outra atrás.
>
> O que se quer é o fim de uma prática em que os governos trabalham com
> dois pesos e duas medidas.
>
> Na desapropriação de terras para reforma agrária, o Instituto Nacional
> de Colonização e Reforma Agrária (Incra) utiliza-se da Lei 4.132, que
> prevê compra de terras com pagamento em dinheiro. Bem diferente da
> Funai, que, em vez de solucionar os conflitos, atua para
> potencializá-los.
>
> KÁTIA ABREU, 50, senadora (PSD/TO) e presidente da CNA (Confederação
> da Agricultura e Pecuária do Brasil), escreve aos sábados nesta
> coluna.

Data: 09/11/2012

De: neusapop

Assunto: as mães de suia/

Sou mãe de dois filhos,e peso que vocês não nos jugue sem antes saber da nossa historia
estamos sofrendo ,vendo tudo que nos construímos ser destruídos sem poder fazer nada,nossas casas que construímos com tanto esforço e suor derramados nessa terra que compramos e pagamos,tudo que temos esta aqui .Para onde iremos com nossos filhos ?Já estamos casados,as lagrimas espotas em nossos rostos mostram nosso sofrimento,mais quando eu olho para os filhos e que vejo que não posso desistir (não diga a Deus que você tem um grande problema ,mais diga ao problema que você tem um grande Deus)Já ouviram falar que fé movem uma montanha e nessa fé que iremos continuar lutando.

Data: 13/11/2012

De: leitor: do B. Araguaia 12/11/2012

Assunto: Re:as mães de suia/

As mães suia tem razão, parabens,porque elas sabem como todas, a importancia de ter sua propria casa para acolher seus filhos, colocar o pão na mesa para alimentar-los. A funai deveria ter a mesma preocupação com as mães indias e as crianças, a funai precisa dar oportunidade para que os indios estudem aprendam a trabalhar ganhe o seu proprio dinheiro, tenho certeza que eles querem ser dono do seu proprio nariz,eles querem ser emancipados; Mas o governo tem que acabar com esse bando de sungadores de dinheiro publico e das riquezas do nosso país.

Data: 09/11/2012

De: Elenilda

Assunto: SUIA

Srs. a multinacional por decadas esplorou esses terras , tirou os indios e naquela epoca, Ja exsitia: Funai, Igreja Catolica, Ministerio Publico Federal. Emquanto essas terras eram erxploradas pelos latifdundio internacional não tem registro de uma só voz que se levantou em favor desses indios, agora que esta sendo acupada por brasileiros, e tanta gente interessada em voltar os indios para essas terras, engraçado né?

Data: 09/11/2012

De: De: Povo

Assunto: desocupaçao das terras

Todos sabiam que a terra era dos índios.Entraram porque quiseram agora aguenta as consequências.

Data: 09/11/2012

De: 08/11/2012 DE:leitor B. araguaia

Assunto: suia misu quer justiça

As pessoas que fazem comentarios, deveriam ter inteligencia e conhecimento social: lembrar do passado, olhar o presente,para prever o futuro, antes de falar dos não indios, lembre de quem trabalha produz alimento e coloca o pão na mesa do ser humano desde os mas simples aos doutores de gravata que as vezes desvalorizam aqueles que de forma proporcinal contribui com a economia desse país.valoriza ONGS , funai entre outros orgaos composto de brasileiro com segundas intençoçes. A justiça precisa acordar que o amazonas esta sendo vendida por picaretas da funai; Acorda Brasil. Os indios são verdadeiros Brsileiros seres humanos como nos, eles precisam de comer, beber,assistencia medica e lazer igual o não indio, os indios são escudo da funai,

Data: 09/11/2012

De: gmp

Assunto: aria a ser desocupada

tem que ver questão de desevolvimento brasil esta em crecimento,nõa seria mas facio arruma uma aria mas pequena p/os indios.eles são pocos e somos nos trabalhadores que mantem eles e a funai são dos nssoa impostos que els vivem os funcionaris da funai come do noso suor.dilma.acorda mande alquem visita a aria tem muito sugeira da funai ensima. os documentos são montados.não da p/tirar tanta gente e dichalos na mão tudo que els tem e a terra.p/trabalhar e pagar empotos.tudo que os idios tem somos nos p/dar alimentos p/ eles não seria mas facil emsinar eles trabalhar como nos.toma a teta da funai eles ja mamaram muito.não e mas crianca.acorda não de ouvido a fofoca reve todos so dumentos foram mantados.

Data: 09/11/2012

De: Eu

Assunto: Re:aria a ser desocupada

Caro colega,

Você diz que os funcionários da FUNAI, come do suor de vocês, podemos dizer o mesmo pois todo brasileiro paga o seus impostos independente de posição social, somos trabalhadores e te falo com muito orgulho eu visto a camisa do órgão que trabalho.

Data: 09/11/2012

De: tu

Assunto: Re:Re:aria a ser desocupada

Você deve ser um dos "bobo da corte" que trabalha pros grandões ganhar dinheiro dentro desse órgão que não passa de um cabide de emprego e de corrupção... de fato, não tutela índio nenhum... tudo que se vê é fraude... não só no presente caso, entra na internet e pessquisa "fraudes da FUNAI"... são infinitas as matérias... e o Governo Dilma não faz nada... a FUNAI É GOVERNO!!!! ACORDA DILMA!

1 | 2 | 3 | 4 >>

Novo comentário