07/11/2015 - Índio acusado de estupro de menor pede ajuda a antropólogo para sair da cadeia

07/11/2015 - Índio acusado de estupro de menor pede ajuda a antropólogo para sair da cadeia

Um índio de aproximadamente 30 anos da etnia bororo está preso em Barra do Garças acusado de estuprar uma menina de 11 anos. O crime teria ocorrido na aldeia Merure no município de General Carneiro.

Durante depoimento na Barra, o indígena pediu a contratação de um antropólogo para provar que na cultura deles (bororo) é permitido o envolvimento de homens mais velhos com mulheres mais novas até sem consentimentos das parceiras, o que para ele não configuraria em estupro.

Só que este argumento não convenceu o Judiciário de Barra do Garças que decretou a prisão deste índio. Segundo o delegado Adilson Gonçalves, ele ainda teria feito ameaças contra a família da menor que está na condição de sobrinha dele.

O indígena foi preso por agentes civis de General com apoio de uma equipe da regional de Barra. A reportagem do Araguaia Notícia tentou ouvi-lo no IML quando estava fazendo exame de corpo delito. “Eu não preciso produzir provar contra mim mesmo. É direito meu em não falar nada”, completou.

O delegado Adilson ressaltou que todas as pessoas estão sujeitas a mesma lei independente de terem culturas diferentes.
 

 

Araguaia Noticia

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário