08/02/2011 - 10h:16 Justiça exclui comunidade do Orkut contra três adolescentes violentadas

Familiares conseguiram retirar, nesta segunda-feira (7), do site de relacionamento Orkut, uma comunidade ofensiva contra as adolescentes supostamente estupradas por três rapazes em Barra do Garças (a 503 quilômetros de Cuiabá), depois de se conhecerem por meio da página de internet. A comunidade denominada “Eu acredito em Thiago Pinheiro” estava fazendo acusações contra a jovem de que ela não seria mais virgem e por causa das difamações, a família recorreu ao Google para retirar do ar a comunidade.
Thiago Pinheiro de Oliveira, 18 anos, permanece preso juntamente com Bruno Diego Salles Machado, 19 anos. O terceiro acusado pelo fato de ser menor, 17 anos, foi solto no dia seguinte ao crime e retornou para Goiânia onde se apresentou ao time onde ele joga o Atlético-GO.
Parentes informaram que as adolescentes A.C.V, 14 anos, T.S.S, 13 anos, e A.C.A, de 15 anos estão traumatizadas com tudo que aconteceu e tiveram que mudar de escola e estão passando por tratamento psicológico. O tio da menor T.S.S informou, que apesar de toda brutalidade pela qual as meninas foram submetidas, ainda tem ocorrido humilhações e insultos na internet às garotas dizendo que elas eram da rua. “Isso não é verdade todas têm família, duas eram virgens. E nada vai justificar o que eles fizeram”, frisou.
Por parte dos acusados, familiares evitam conversar com a imprensa e negam que estejam incentivando a criação de comunidades ou ofensas pela internet. Um advogado que acompanha um dos acusados não quis dar entrevista e disse que qualquer coisa que for dita agora pode ser mal interpretada e piorar a situação.
O crime aconteceu dia 22 de janeiro quando as três garotas saíram de madrugada com acusados que passaram num posto de gasolina adquiriram bebida alcóolica e seguiram em dois carros para rodovia MT 100 saída de Barra do Garças para Araguaiana. Em um terreno baldio usaram bebida e energético. As adolescentes foram estupradas sendo que duas eram virgens. Depois elas foram deixadas em frente a casa da adolescente de 15 anos, segundo a família, em visível coma alcoólico e seminuas.

De Barra do Garças - Ronaldo Couto