08/03/2012 - Polícia apreende avião carregado de armas e dólares no Pantanal em MT

 

Uma aeronave carregada com armamento e cerca de US$ 600 mil em espécie foi apreendida nesta quarta-feira (07) pela Polícia Civil na região do Pantanal mato-grossense, numa área alagada próxima de Barão do Melgaço. Piloto e co-piloto foram presos e serão encaminhados para a Polícia Federal (PF), que vai tocar o caso a partir de agora.

 

Além dos exatos US$ 599.752 em espécie e das armas de fogo (dois revólveres, uma pistola e uma espingarda), dentro da aeronave havia um telefone de comunicação por satélite e sete aparelhos celulares.

 

De acordo com a delegada Alana Cardoso, a investigação que culminou na apreensão do monomotor se estende desde o ano passado, comandada pela Delegacia Especializada de Entorpecentes (DRE), com apoio da Delegacia do Meio Ambiente (Dema) e da Secretaria do Meio Ambiente (Sema).

 

A Polícia esteve durante todo este tempo monitorando o trânsito de aeronaves e barcos suspeitos de carregarem entorpecentes pela região alagada do Pantanal. A suspeita de envolvimento com o narcotráfico recaiu sobre a aeronave apreendida hoje, a qual passou a ser monitorada.

 

Na segunda-feira (05), os policiais mais uma vez se deslocaram de barco para a região alagada, distante 4 km de Poconé. A pista de pouso e decolagem utilizada se localiza numa fazenda cujo nome a Polícia prefere não informar ainda devido ao prosseguimento das investigações.

 

Nesta propriedade, caracterizada como a “base” do suposto esquema de tráfico de drogas, a aeronave realizava operações periódicas. Nesta quarta-feira, os policiais monitoraram a aterrissagem, com o descarregamento de material (suspeita de ser entorpecentes), e esperaram para agir no momento da decolagem.

 

No momento em que o piloto e o co-piloto se preparavam para levantar voo, receberam voz de prisão. Eles não ofereceram resistência, mas se mantiveram em silêncio por todo o tempo – como é típico de investigados flagrados em ações envolvidas em suposto esquema de narcotráfico internacional.

 

Entretanto, a delegada explicou que não se pode apontar ainda que, apesar das suspeitas, a aeronave tenha sido mesmo utilizada numa transação do narcotráfico, pois não foi encontrada droga alguma – mas as cédulas de dólares, informou, carregavam forte odor de pasta-base.

 

Agora, o caso será repassado à PF. Os crimes apontados por enquanto são de evasão de divisas e porte ilegal de armas, mas a apuração continua.

 

Da Redação - Renê Dióz

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário