08/06/2016 - Chiletto vê pressão política por cargo e garante que faz bom trabalho com os recursos que têm

08/06/2016 - Chiletto vê pressão política por cargo e garante que faz bom trabalho com os recursos que têm

O secretário de Cidades, Eduardo Chiletto, comentou – em entrevista exclusiva ao Olhar Direto – nesta terça-feira (07), que a pressão para que ele deixe o cargo que ocupa no governo de Pedro Taques (PSDB) é meramente política. Isso porque o comando da pasta é visto como uma espécie de ‘trampolim’ para a vida pública: “É uma secretaria visada, que mexe com obras públicas. Muitos querem sentar naquela cadeira”. Por fim, ressaltou o trabalho que tem feito, mesmo com poucos servidores à disposição. As declarações aconteceram após uma reunião entre o titular da pasta e o chefe do Executivo.

 
“A nossa secretaria é muito visada, é uma pasta que mexe com obras nos municípios, que entrega produto ao cidadão. Entendemos esta pressão política, pois muitos querem sentar naquela cadeira. Mas é evidente que isto é uma determinação do governador. Ele é quem foi eleito pela população e sabe a equipe que quer lá”, comentou o secretário.
 
Chiletto ainda destacou que quer continuar trabalhando de forma séria e correta e que tem a confiança de Pedro Taques para seguir à frente da pasta. Ainda explicou que poderia fazer muito mais, só que para isto seria necessário uma equipe maior. Este, inclusive, foi um dos assuntos abordados com o chefe do Executivo durante a reunião nesta manhã.
 
“Viemos conversar sobre a reestruturação da Secid (Secretaria de Cidades). Iniciamos a gestão com poucos servidores. A pasta acompanha 400 obras nos municípios de Mato Grosso, e são apenas nove fiscais para tomar conta de tudo. Fica difícil entregarmos uma obra com qualidade sem a quantidade mínima necessária dentro do quadro técnico. Agora, todas as obras públicas devem ser encaminhadas para cá, por isso acontecerá esta reestruturação”, disse Chiletto.
 
Ao todo, a estimativa é que o governo entregue 120 obras nas cidades mato-grossenses até o fim do ano: “É um processo que parece lento, mas só em dezembro que conseguimos autorização para entrarmos em um processo de contratação de equipe. Até lá, a Secid não tinha técnico, engenheiro e arquiteto para trabalhar. Tenho que parabenizar os poucos servidores que conseguiram fazer um ótimo trabalho”. Além disto, a pasta deve criar a Central de Projetos, o que ajudará a melhorar a qualidade das obras, segundo Chiletto.
 
“A princípio, o governador aprovou essa reforma que apresentamos da Secid. Conversamos com o Marrafon e com o Júlio Modesto para dar sequência nisto. Continuaremos trabalhando de forma séria e correta”, finalizou. 

 

 

 

 

Da Redação - Wesley Santiago