08/07/2015 - Maggi diz que mudança para o PMDB era "um desejo antigo"

O senador Blairo Maggi (PR) afirmou que sua iminente filiação ao PMDB já era um "desejo antigo", que ele carregava desde os tempos de faculdade, quando ainda participava de movimentos estudantis.

Em entrevista ao programa Resumo do Dia, da TV Rondon (SBT), Maggi lembrou que chegou a militar no antigo MDB, partido que abrigou os opositores do regime militar, entre os anos de 1965 a 1980, dando origem ao PMDB. 

“Quando estudava, fiz universidade no Paraná e já militava no antigo MDB, fazendo a política estudantil”, afirmou o senador. 

Segundo ele, em pelo menos dois dos três processos eleitorais dos quais ele participou, já havia a intenção de concorrer pelo PMDB, o que não foi possível em razão de questões na política local. 

“Além de militar no movimento estudantil, nas eleições que disputei, em alguns momentos, eu pretendia fazer isso no PMDB, mas nunca tive essa oportunidade, em função das questões locais”, disse o senador. 

Apesar de deixar claro sua mudança partidária, Maggi afirmou que ainda não existe uma data definida para a oficialização do processo. 

De acordo com ele, é preciso, no momento, aguardar a mudança de partido de outros colegaas, para que a composição de blocos partidários no Senado não fique prejudicada. 

“Faço parte de um bloco partidário com nove senadores. Esse número é o mínimo que precisa ter para um bloco funcionar. Há outras movimentações no Senado. Por exemplo, a Marta Suplicy e a Lúcia Vânia vão para o PSB, e lá há também um bloco com nove senadores", afirmou. 

“Então, alguém do PSB vai migrar para o bloco ‘União e Força’, do qual eu faço parte, de forma que os dois blocos ficam mantidos. Assim, eu consigo ir para o PMDB sem atrapalhar a vida do próprio PR e dos demais senadores que fazem parte desse bloco”, explicou Maggi. 

Eleições na Capital 

O senador preferiu adotar cautela ao ser questionado sobre a disputa eleitoral em Cuiabá, em 2016. Até o momento, o ex-juiz federal Julier Sebastião é apontado como pré-candidato pelo PMDB. 

No entanto, Maggi é aliado político do prefeito Mauro Mendes (PSB), candidato natural à reeleição. 

Nos bastidores, comenta-se que o senador teria condicionado sua ida ao PMDB em troca de apoio a Mendes, “minando” assim a candidatura de Julier. O senador, por sua vez, negou a existência desses “pré-acordos”. 

“Não discuti isso. Estou indo para o PMDB, falei com o (Carlos) Bezerra que estou entrando para fazer uma política a nível nacional. É claro que vamos nos envolver na política municipal também, mas ainda não é a hora”, afirmou. 

“Acho que o partido precisa escolher seus projetos, mas não sei se é com A, com B ou com C. Isso nós vamos discutir lá na frente, com muita tranquilidade. A mim não foi pedido nada pelo PMDB. E eu também não solicitei nada para ir pra lá. Vamos começar uma caminhada juntos”, completou. 

Decisão do STF 

A mudança de partido do senador mato-grossense ganhou força após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que, no último mês, derrubou a regra de perda do mandato para cargos do sistema majoritário de eleição, como prefeito, governador, senador e presidente da República.

A alteração dá liberdade para gestores que ocupam esses cargos possam trocar de partido sem serem penalizados por ações de infidelidade partidária.

No entendimento de Blairo Maggi, a decisão do STF é acertada. “Eu vejo a decisão do STF como correta. Todos nós que tínhamos disputado cargos na majoritária, tínhamos esse entendimento, pois o voto é na pessoa, não no partido ou na coligação”, afirmou. 

 

 

Camila Ribeiro 

Da Redação

Comentários

Nenhum comentário encontrado.

Novo comentário