08/08/2014 - Sob o efeito da gleba Suiá Missu, PF leva para cadeia vereador e mais 5

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta (7), em Alto Boa Vista (1.048 km de Cuiabá), uma operação para o cumprimento de mandados de prisão temporária, condução coercitiva e busca e apreensão contra pessoas envolvidas na desintrusão e reocupação da Terra Indígena Marãiwatsédé, a antiga gleba Suiá Missu. Os mandados foram expedidos pelo juiz federal Paulo Augusto Moreira Lima, da subseção da Justiça Federal com sede em Barra do Garças. Entre os alvos da ação estão o vereador Osvaldo Levino de Oliveira, o Nivaldo do Posto da Mata (PP), com prisão decretada, e a vice-prefeita do município, Irene Maria Rocha, a Irmã Irene (PSD), com mandado de condução coercitiva.

De acordo com os mandados, as pessoas citadas são acusadas de participação em atos que tentaram impedir a Polícia Federal, a Força Nacional e a Fundação Nacional do Índio (Funai) a cumprirem a determinação da Justiça Federal de desocupar a gleba Suiá Missu para dar posse aos índios da etnia xavante com a criação da Terra Indígena Marãiwatsédé. A desocupação começou a ser cumprida em dezembro de 2012, no entanto, os alvos da operação desta quinta estão sendo responsabilizados por atos de apropriação indébita (um maquinário da Funai), saques, agressões físicas aos policiais e resistência à ordem judicial.

Todos os mandados foram cumpridos e os acusados estão a caminho de Barra do Garças para oitivas e cumprimento de prisão temporária. Além do vereador Nivaldo do Posto da Mata, foram presos o presidente da Associação dos Produtores Rurais da Suiá Missu, Sebastião Ferreira do Prado, o ex-presidente da entidade, Renato Teodoro da Silveira, João Ribeiro Camelo e Elias Alves Gabriel.

Embora com mandado de condução coercitiva, a vice-prefeita Irmã Irene escapou da ação policial porque estava ausente de Alto Boa Vista. Segundo informações de familiares, ela está em viagem.

Defesa

O advogado José Genilson Brayner, que representa o vereador Osvaldo Levino de Oliveira, o Nivaldo do Posto da Mata, considerou a operação da PF desproporcional. Segundo ele, seu cliente está sofrendo perdas irreparáveis, tanto em relação à perda da propriedade na antiga Suiá Missu quanto moral e social pelo fato de ter sido preso e ainda política pelo que representa no município, onde, além de vereador, ter ocupado o cargo vice-prefeito na gestão passada.

 

RD News
Francis Amorim

Comentários

Data: 08/08/2014

De: fita dada

Assunto: ok

ERA O FILME DE FINAL CONHECIDO. ME LEMBRO COMO SE FOSSE HOJE OS LOBOS EM PELE DE CORDEIRO QUERENDO USAR MEIA DUZIA DE POSSEIROS.

Data: 08/08/2014

De: Judas

Assunto: Descalços e sem terra

Neste caso até Judas é melhor que Pedro!

Data: 08/08/2014

De: pedro

Assunto: Re:Descalços e sem terra

Ele nunca traiu ninguém, quando ele chegou aqui na região os índios ja tinha sido retirados da área, sendo ele que lutou a vida toda contra o latifúndio escravista e improdutivo, sua luta é conhecida mundialmente, vários latifúndios foram desapropriados por causa de sua luta, mas alguém tem que ser o culpado, então coloque a culpa nele, jamais ele ficaria ao lado de grileiros, pistoleiros, e esses safados que levaram o povo para o posto da mata, enganaram essas famílias, aqueles que não acreditaram nessa gente, estão lá na área que ficou para os assentamentos, gleba dom pedro e mãe maria, uma luta dele. VÁ SE ENFORCAR IDIOTA.

Data: 08/08/2014

De: Jesus na Providência

Assunto: Posto da Mata

Caro poder Judiciário!


Até onde vamos chegar com essa situação, a Justiça e muito falha mesmo os senhores tem toda a participação de hoje ter tanta família sem teto. Agora chegou um momento de refletir já que os índios queriam tanto essas terras cade deles? Onde eles estão? Será que eles vão ter coragem de construir tudo novamente que essas família construirão esses anos todos? Senhores autoridades tenham mais consciência chega de fazer o nosso povo sofre, isso já foi longe de mais.

Novo comentário